Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Campanha Amamentação 2019

    Você está aqui:
  1. Página inicial
Início do conteúdo da página

Orientações sobre os Métodos Contraceptivos

Escrito por alexandreb.sousa | | Publicado: Quinta, 29 de Junho de 2017, 18h15 | Última atualização em Segunda, 03 de Julho de 2017, 11h28

O Sistema Único de Saúde (SUS) distribui a Pílula Combinada, a Anticoncepção de Emergência, a mini-pílula, a anticoncepcional injetável mensal e trimestral, e o diafragma, assim como preservativo feminino e masculino para a prevenção da gravidez, incluindo a proteção de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST).

Os métodos contraceptivos oferecidos pelo SUS podem ser disponibilizados para adolescentes conforme as especificidades de suas condições individuais. Os serviços de saúde devem se organizar para assegurar o acesso dessa população a esses métodos.

Porém, vale ressaltar que alguns métodos são mais adequados que outros, nessa fase da vida, o que não impede os adolescentes de serem atendidos e informados mesmo que desacompanhados dos pais ou responsáveis.

Quando usar camisinha

A camisinha masculina ou feminina deve ser usada em todas as relações sexuais, independentemente do uso de outro método anticoncepcional, pois a camisinha é o único método que oferece dupla proteção, ou seja, protege ao mesmo tempo das ISTs, AIDS e da gravidez não desejada. Também é ofertado o DIU de Cobre em todas as maternidades brasileiras, o que inclui as adolescentes dentro desse público a ser beneficiado. O DIU é um método de longa duração (por volta de 10 anos), seguro e que para as adolescentes pode ser uma opção mais eficaz na prevenção e postergação da segunda gravidez.

Não são indicados para os adolescentes 

  • A ligadura das trompas e a vasectomia.
  • Os métodos da tabela, do muco cervical e da temperatura basal são pouco recomendados, porque exigem do adolescente disciplina e planejamento e as relações sexuais nessa fase, em geral, não são planejadas.
  • A minipílula e a injeção trimestral não devem ser usadas antes dos 16 anos.

Adolescente, fique sabendo

O SUS oferta ao adolescente o teste rápido e aconselhamento sobre sífilis e HIV/aids, como oportunidades de reforçar os cuidados com sua saúde e facilitar o atendimento preventivo. Na faixa etária entre 12 a 18 anos de idade será realizada uma avaliação pela equipe de saúde das suas condições de discernimento e de autonomia. Da mesma forma, o teste de rápido de gravidez é ofertado para todas as usuárias do SUS, incluindo as adolescentes.

registrado em:
Fim do conteúdo da página