Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

INFORME AS DOSES E ESTOQUES DAS VACINAS EM SEU MUNICÍPIO ATÉ 30/11

Início do conteúdo da página

Informações Técnicas - Cólera

Escrito por alexandreb.sousa | | Publicado: Quinta, 27 de Março de 2014, 15h01 | Última atualização em Terça, 08 de Maio de 2018, 10h10

Notificação

Todo caso suspeito ou confirmado de cólera deve ser notificado de forma imediata (em até 24 horas) pelo profissional de saúde ou responsável pelo serviço assistencial que prestar o primeiro atendimento ao paciente, pelo meio mais rápido disponível. A autoridade de saúde que receber a notificação compulsória imediata deve informá-la, em até 24 horas desse recebimento, às demais esferas de gestão do SUS.

A notificação, independente da forma como realizada, também deve ser registrada no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) em até sete dias da data de notificação.

Definições de caso

Caso suspeito

Em áreas onde não haja incidência de cólera:

  • qualquer indivíduo, independentemente da faixa etária, proveniente de áreas com ocorrência de casos de cólera, que apresente diarreia aquosa aguda até o 10º dia de sua chegada;
  • contactante de indivíduo que retornou de áreas com ocorrência de casos de cólera há no máximo 20 dias e que apresente diarreia aquosa aguda em até 10 dias após o contato, independentemente da faixa etária.
  • todo indivíduo com mais de 10 anos de idade que apresente diarreia súbita, líquida e abundante. A presença de desidratação rápida, acidose e colapso circulatório reforça a suspeita. Em locais onde a sensibilidade e a capacidade operacional do Sistema de Vigilância Epidemiológica permitam, esse limite deverá ser modificado para maiores de 5 anos.

Em áreas com surto de cólera declarado:

  • qualquer indivíduo que apresente diarreia aquosa aguda, independentemente da faixa etária.

Caso confirmado

Critério laboratorial

Caso suspeito que apresente isolamento de Vibrio cholerae O1 ou O139 toxigênico em amostra de fezes ou vômito.

Critério clínico-epidemiológico

Caso suspeito, clinicamente compatível com cólera e epidemiologicamente relacionado a um caso confirmado laboratorialmente.

Caso importado

É o caso em que a infecção ocorreu em área diferente daquela onde foi diagnosticado, tratado ou teve sua evolução. Nessa situação, o local de procedência deve ser notificado para apoiar a investigação.

Caso descartado

Todo caso suspeito que não se enquadre nas definições de caso confirmado.

Portador assintomático

Indivíduo que, sem apresentar os sinais e sintomas da doença, atua como reservatório e elimina o agente etiológico por determinado período de tempo.

Fim do conteúdo da página