Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

INFORME AS DOSES E ESTOQUES DAS VACINAS EM SEU MUNICÍPIO ATÉ 30/11

Início do conteúdo da página
VIGILÂNCIA

Carreta da Saúde contra Hanseníase visita 22 municípios no Maranhão

Escrito por Leonardo | | Publicado: Segunda, 15 de Fevereiro de 2016, 11h27 | Última atualização em Quinta, 26 de Outubro de 2017, 19h49

Veículo vai permanecer por dois meses no estado com profissionais de saúde que vão realizar, gratuitamente, busca ativa de casos, testes clínicos e exame dos contatos

A população de 22 municípios prioritários do Maranhão poderá fazer, gratuitamente, os testes clínicos voltados para detecção da hanseníase. A Carreta da Saúde contra a Hanseníase começa seu roteiro no estado nesta segunda-feira (15), quando estará em São Luís, e em seguida percorre outros 21 municípios até 20 de abril, encerrando seu trajeto em Presidente Dutra, Centro Maranhense, a 347 km da capital. O objetivo é promover atividades de educação em saúde para alertar a população geral sobre os sinais e sintomas da hanseníase, realizar a avaliação dermatoneurológica para identificar casos novos da doença e exame de contatos, além de encaminhamento dos casos confirmados para tratamento na rede do Sistema Único de Saúde (SUS).

As atividades, uma parceria do Ministério da Saúde com secretarias estaduais e municipais de saúde mais a iniciativa privada e a Sociedade Brasileira de Hanseniologia, integram as ações da Campanha do Dia Mundial de Luta Contra a Hanseníase, instituída pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Como parte da campanha, o Ministério da Saúde está enviando às secretarias de saúde de todo o país material informativo e educativo sobre a doença: são 245,3 mil cartazes, 529,3 mil folders e 130,1 mil filipetas, que também estarão disponíveis para o público que procurar a carreta.

A hanseníase é uma doença crônica, infectocontagiosa, cujo principal agente etiológico é o  Mycobacterium leprae. Por meio do slogan “Hanseníase: quanto antes você descobrir, mais cedo vai se curar”, a ação reforça a importância do diagnóstico precoce da doença como forma de prevenir as incapacidades físicas decorrentes do diagnóstico tardio e lembrar que a hanseníase tem cura e o tratamento é ofertado gratuitamente no SUS.

O Maranhão foi o estado brasileiro com maior número de casos novos de hanseníase em 2014 (3.632) e o terceiro com os maiores coeficientes de prevalência (prevalência de 4,26/10.000 hab.) e de detecção geral (53,02/100.000 hab.). Em relação aos casos novos em menores de 15 anos, o estado apresentou no mesmo ano um coeficiente de detecção três vezes superior à média do país (16,73/100.000 hab.). A boa notícia é que esse número representa uma diminuição de 32,2% em comparação com os 5.366 casos de 2004. A taxa de cura no estado cresceu 29,7%, passando de 63,8% em 2004 para 82,8% em 2014.

CAMPANHA – É permanente o esforço do Governo Federal, em parceria com os estados e municípios, no enfrentamento da doença e na conscientização da população. A campanha publicitária deste ano objetiva alertar a população sobre os sinais e sintomas da doença e incentivar a procura pelos serviços de saúde, além de mobilizar os profissionais de saúde à busca ativa de casos novos de hanseníase e o exame dos contatos. 

A comunicação com a população e profissionais de saúde será feita por meio da TV, distribuição de cartazes, folders, filipetas e mídias na internet, principalmente nas redes sociais, além das atividades de educação em saúde implementadas pelos municípios.

BUSCA ATIVA EM CRIANÇAS – Cerca de 1,1 milhão de crianças brasileiras foram examinadas para hanseníase em 2.292 municípios no ano passado. Os dados acabam de ser consolidados pela equipe coordenadora da Campanha Nacional de Hanseníase, Geo-helmintíases e Tracoma, do Ministério da Saúde, e demonstram que o Brasil está dando passos firmes na direção da eliminação da doença: em 2014, segundo ano da campanha, o número total de crianças examinadas tinha sido 199.087, o que configura um salto de nada menos que 81,9% em 2015.

Criada em 2013, a campanha mobilizaagentes comunitários de saúde e equipes da estratégia Saúde da Família, que percorrem as escolas para diagnosticar e tratar hanseníase, tracoma e verminose em alunos de cinco a 14 anos. Apesar do crescimento exponencial no volume de crianças examinadas, houve redução no número de crianças diagnosticadas com a doença: foram 274 diagnósticos confirmados em 2015 - uma queda de 22,6% em relação ao ano anterior, quando houve 354 crianças diagnosticadas. Os casos suspeitos são encaminhados às unidades de saúde, e se confirmados, os pacientes iniciam de imediato o tratamento.

Com isso, o Ministério da Saúde espera aumentar o diagnóstico precoce e identificar comunidades em que a hanseníase, o tracoma e as verminoses ainda persistem como problemas de saúde pública. Em 2015, para realização das ações específicas relativas à terceira edição da Campanha Nacional de Hanseníase, Geo-helmintíases e Tracoma, o Ministério repassou aos municípios prioritários aproximadamente R$ 15,8 milhões. No Maranhão, a Campanha foi realizada em 136 municípios, 564.950 fichas de autoimagem foram entregues, 48 escolares tiveram diagnóstico de hanseníase confirmado, além de cinco casos diagnosticados entre os contatos. Em 2016, a quarta edição da Campanha está prevista para iniciar no mês de agosto.

REDUÇÃO DE CASOS – Em 2014, o Brasil registrou 31.064 casos novos de hanseníase. Destes, 2.341 (7,5%) foram diagnosticados em menores de 15 anos, sinalizando focos de infecção ativos e transmissão recente. Como resultado das ações voltadas para a eliminação da hanseníase enquanto problema de saúde pública, o Brasil, entre 2004 e 2014, reduziu em 45,7% o coeficiente de prevalência, passando de 28,24 /100 mil habitantes para 15,32 casos/100 mil habitantes.  O coeficiente em menores de 15 anos é 4,88/100 mil habitantes, com uma redução percentual acumulada de 36,4% quando comparado com 2004 (7,68/100 mil habitantes).

O Ministério da Saúde registrou uma redução de 16,14% no número de pacientes em tratamento no país. Em 2004, eram 30.693, passando em 2014 para 25.738 pessoas. Os dados demonstram que a taxa de cura da hanseníase aumentou 22,9% no Brasil, passando de 67,3% em 2004 para 82,73% em 2014.

A eliminação da hanseníase como problema de saúde pública é uma das prioridades do governo federal, e as ações para reduzir a doença demandam esforços conjunto com estados, municípios e parceiros.

Programação em São Luís:
Dia 15/02: Feira do Anjo da Guarda, próximo ao Viva,
Dia 16/02: Feira da Cidade Operária, próximo à UPA,
Dia 17/02: Avenida dos Africanos, próximo a Fundação Bradesco.
Dia 18/02: Paço do Lumiar, no Viva Maiobão
Dia 19/02: município de Raposa No dia 15/02, a ação começa às 12hs. Nos demais dias, será das 8h às 16hs.

Carreta da Saúde contra a Hanseníase no Maranhão

Município

Total de Dias

Data da visita da Carreta

São Luis

3

15 a 17 de fevereiro

Estiva

1

19 de fevereiro

Santa Rita

2

22 à 23 de fevereiro

Itapecurú Mirim

1

24 de fevereiro

Miranda do Norte

1

25 de fevereiro

São Mateus do Maranhão

1

26 de fevereiro

Bacabal

2

29 de fevereiro à 1 de março

Paulo Ramos

1

2 de março

Vitorino Freire

2

3 de março

Pio XII

2

7 à 8 de março

Santa Inês

2

9 à 10 de março

Zé Doca

1

11 de março

Nova Olinda do Maranhão

2

14 à 15 de março

Maracaçuné

2

16 à 17 de março

Boa Vista do Gurupi

1

18 de março

Buriticupu

1

22 de março

Açailândia

2

23 à 24 de março

Imperatriz

3

29 à 31 de março

Campestre do Maranhão

3

4 à 6 de abril

Porto Franco

2

7 à 8 de abril

Barra do Corda

3

12 à 14 de abril

Presidente Dutra

3

18 à 20 de abril

 

Ana Cláudia Amorim, Agência Saúde
Atendimento à Imprensa
(61) 3315-2005 / 3580 / 2351

Fim do conteúdo da página