Ir direto para menu de acessibilidade.
    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Últimas notícias
  4. >
  5. Agência Saúde
  6. >
  7. Prédios do Ministério da Saúde serão vistoriados para eliminação de focos do mosquito
Início do conteúdo da página

Prédios do Ministério da Saúde serão vistoriados para eliminação de focos do mosquito

Escrito por André | Publicado: Quarta, 25 de Outubro de 2017, 19h38 | Última atualização em Segunda, 30 de Outubro de 2017, 19h08

Em parceria com o governo do Distrito Federal, unidades do MS recebem visita dos agentes de saúde e do corpo de bombeiros para eliminação do Aedes aegypti responsável pela transmissão das doenças dengue, zika e chikungunya

Unidades do MS recebem visita dos agentes de saúde e do corpo de bombeiros para eliminação do Aedes Aegypti responsável pela transmissão das doenças dengue, zika e chikungunya. Brasília, 26/10/2017.

Acontece nesta quinta-feira, 26/10, vistoria das áreas externas e internas do Ministério da Saúde em Brasília para eliminação de possíveis focos do mosquito da dengue, zika e chikungunya. A ação faz parte da Semana Nacional da Saúde, Educação, e Assistência Social para o Combate ao Aedes aegypti. Atividade é realizada em conjunto com a Sala Distrital de Coordenação e Controle do DF, que articula e monitora o combate ao mosquito no Distrito Federal e entorno.

Serão cerca de 50 bombeiros e agentes de vigilância ambiental e saúde do governo do Distrito Federal mobilizados a procura de criadouros do mosquito. Os trabalhadores da pasta também estão convocados e devem acompanhar a operação que acontece durante toda a manhã em três sedes distintas.

A ação dos setores da Educação, Assistência Social e Saúde para o combate ao Aedes aegypti acontece de 23 a 27 de outubro em todo o país. Mais de 210 mil unidades públicas e privadas de todo o Brasil estão sendo mobilizadas pela Sala Nacional de Coordenação e Controle, que reúne os ministérios da Saúde, da Integração, da Defesa, do Desenvolvimento Social e da Educação, a Casa Civil e a Secretaria de Governo da Presidência da República, além de outros órgãos convidados.

O objetivo é que durante esta semana a população seja alertada sobre a importância de combater mosquito transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya, já antes do verão, período do ano quando acontece o maior volume de chuvas, o que facilita reprodução do Aedes aegypti. Ao todo serão mobilizadas 146.065 escolas da rede básica, 11.103 centros de assistência social e 53.356 unidades de saúde.

“Não podemos baixar a vigilância. É melhor cuidar do foco do mosquito do que sofrer as consequências de não ter feito essa iniciativa. Vamos reforçar, ainda mais, a necessidade de eliminar os criadouros, convocando toda a sociedade para esse trabalho já antes do verão, quando começam as chuvas”, aconselhou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.     

RÁDIO

Estados e municípios tem autonomia para definir quais ações serão realizadas para mobilizar as áreas, mas a orientação da Sala Nacional é que sejam realizadas atividades que envolvam a prevenção e o combate do Aedes, como mutirões de limpeza, distribuição de materiais informativos, realização de rodas de conversas educativas, oficinas, teatros e gincanas.

“Campanhas como essa são essenciais para combater o mosquito, porque estimulam a participação da população. A comunidade precisa ter consciência e participar de ações de prevenção a essas doenças. Precisamos estar unidos para vencer essa batalha”, ressalta o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Ainda para aproveitar o momento de mobilização, a Sala Nacional também indicou aos gestores que fossem inseridas equipes nas unidades de ensino para confeccionar Cartões Nacionais de Saúde aos estudantes que não possuem cadastro no Sistema Único de Saúde (SUS).

DADOS - As doenças transmitidas pelo Aedes aegypti têm tido queda expressiva em todo Brasil. De acordo com o último Boletim Epidemiológico, até o dia dois (2) de setembro deste ano, foram notificados 219.040 casos prováveis de dengue em todo o país, uma redução de 85,2% em relação ao mesmo período de 2016 (1.483.623).

O mesmo estudo mostrou que foram registradas 171.930 notificações de casos prováveis de febre chikungunya. A redução é de 34,2% comparado ao ano anterior, que atingiu o número de 261.645 casos. Em relação ao Zika, os casos caíram 92,6%. Foram registrados 15.586 casos prováveis em todo país, enquanto em 2016, o Brasil registrou 211.487 notificações. A incidência reduziu 92,5%, passando de 102,6 em 2016 para 7,6 neste ano.

Serviço:

Horário

Atividade

9h-9h30

Concentração na portaria do PO700

9h30

Divisão das equipes para realização das vistorias nas áreas internas e externas do prédio e início das atividades

10h30-11h

Deslocamento para edifício sede do MS

11h

Início das atividades no edifício sede e Anexos

12h

Encerramento

Da Agência Saúde
Atendimento à imprensa
(61) 3315-3580 / 2745

 

Fim do conteúdo da página