Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Banner estatico portal 960 x 100

Início do conteúdo da página

Belo Horizonte (MG) ganha reforço de R$ 9,3 milhões para qualificar 97 leitos

Escrito por Tatiana Teles | | Publicado: Sexta, 03 de Novembro de 2017, 16h58 | Última atualização em Sexta, 03 de Novembro de 2017, 17h04

 

O recurso é destinado ao Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro (HMDCC), para melhoria dos serviços de urgência e emergência oferecidos por meio do SUS

A população de Belo Horizonte (MG) ganhou um incremento de R$ 9,3 milhões destinado para qualificação de 97 novos leitos – sendo 87 de enfermaria clínica e 10 de UTI – do Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro (HMDCC). A portaria está disponível no Diário Oficial da União (D.O.U) e autoriza o repasse para melhorar os atendimentos de média e alta complexidade na urgência e emergência, além de atendimentos na clínica médica da unidade hospitalar, oferecidos por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Tenho certeza que esse incremento chegou em boa hora e vai ajudar nos serviços oferecidos por esta instituição. A qualificação de serviços merece ser destacada e isso quer dizer que a unidade já presta um atendimento de ponta e agora faz jus a um recurso extra, ou seja, é um incentivo para que continue melhorando cada vez mais”, destacou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

O HMDCC é um hospital geral sem fins lucrativos e possui contratualização com o município de Belo Horizonte. É uma unidade hospitalar voltada para urgência e emergência nas especialidades clínica, cirúrgica e AVC, sendo referência para atendimentos de alta complexidade em clínica médica, ortopedia, cirurgia geral, cirurgia vascular, neurocirurgia, neurologia e urologia. Atualmente, possui 260 leitos, sendo 100 de clínica médica, 40 de UTI, 80 cirúrgicos, 15 de AVC, 15 de Hospital Dia, 10 de decisão clínica e outras seis salas de cirurgia.

Com capacidade para realizar 20 mil atendimentos e 2,2 mil internações, o hospital conta ainda com uma estrutura para exames de média e alta complexidade, como tomografia, biópsia guiada por imagem, endoscopia, colonoscopia, gastrostomia, CPRE (Colangiopancreatografia Retrógrada Endoscópica), ecocardiografia, raio-X e ultrassonografia. Por mês, a unidade ainda realiza 3,4 mil consultas de pré e pós-operatórios e 27,8 mil exames.

“Nota-se a importância desse hospital para a população e para o SUS. Sabemos que todo investimento feito aqui é revertido diretamente para quem precisa da rede pública. Em uma parceria bem alinhada com os gestores dos estados e municípios, estamos conseguindo avançar na qualificação dos serviços de saúde oferecidos à população em todo o país”, completou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

O Fundo Nacional de Saúde é responsável pela transferência dos recursos liberados. O valor será repassado em parcelas mensais de R$ 775 mil diretamente ao Fundo Municipal de Saúde de Belo Horizonte, totalizando o recurso anual de R$ 9,3 milhões.

INVESTIMENTOS EM MINAS GERAIS – Apenas nesta gestão, o estado de Minas Gerais ganhou um incremento de R$ 1,1 bilhão para qualificação e ampliação dos serviços oferecidos à população. São recursos para o custeio e funcionamento de mil serviços de média e alta complexidade, 21 Unidades de Pronto Atendimento, 1.456 novas equipes de atenção básica e 2.201 Agentes Comunitários de Saúde. Atualmente, existem 5.225 Equipes de Saúde da Família credenciadas em 848 municípios de Minas Gerais, cobrindo 79,7% da população local (15,8 milhões de pessoa) ao custo de R$ 36,5 milhões por ano.

Por Gustavo Frasão, da Agência Saúde
Atendimento à imprensa
(61) 3315- 3533 / 3580

 

Fim do conteúdo da página