Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Todas as crianças de 6 meses a menores de 1 ano devem ser vacinadas contra o sarampo

Início do conteúdo da página

Saúde libera R$ 1,4 milhão para prevenção ao suicídio

Escrito por carolina.valadares | | Publicado: Segunda, 21 de Maio de 2018, 14h36 | Última atualização em Segunda, 21 de Maio de 2018, 15h40

O total de recursos irá para seis estados, considerados prioritários para as ações da Rede de Atenção Pisicossocial. As ações serão direcionadas para as capitais

Seis estados, de diferentes regiões do país, contarão um total de R$ 1,4 milhão para prevenção ao suicídio por meio da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS). O recurso é parte do Plano Estratégico de Prevenção ao Suicídio e será direcionado para ações em Manaus (AM), Campo Grande (MS), Boa Vista (RR), Teresina (PI), Porto Alegre (RS) e Florianópolis (SC). Os estados onde essas capitais estão localizadas são considerados prioritários para as ações da RAPS, devido ao alto índice de suicídio. A portaria que libera os recursos foi publicada no Diário Oficial da União

O Brasil tem revelado taxas crescentes de suicídio, o que configura um problema grave de saúde pública. Os recursos, que variam entre R$220 mil e R$ 250 mil, serão repassados em parcela única, do Fundo Nacional de Saúde para o Fundo Estadual de Saúde. Esse recurso pode ser usado pelos Serviços da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), tais como os Centros de Atenção Psicossocial- CAPS, Ambulatórios, Unidades Básicas de Saúde (UBS), e em casos de emergência os serviços de urgência e emergência.

Em 2017, o Ministério da Saúde divulgou dados que constam em um diagnóstico sobre casos de suicídio no país. A alta taxa de suicídio entre idosos com mais de 70 anos, por exemplo,  é preocupante. Nessa faixa etária, foram registradas média de 8,9 mortes por 100 mil nos últimos seis anos. A média nacional é 5,5 por 100 mil. Também chama atenção o alto índice entre jovens, principalmente homens, e indígenas. 

COOPERAÇÃO COM O CVV 

Ainda para prevenção do suicídio, o Ministério da Saúde assinou em 2017 um termo de cooperação técnica com o Centro de Valorização à Vida (CVV) para que as ligações sejam gratuitas para a população. Com a instituição da gratuidade do atendimento telefônico, houve aumento significativo da procura. Em 2017, o CVV recebeu dois milhões de ligações de cidadãos em busca de ajuda, o dobro do registrado em 2016.

Atualmente, 23 estados do Brasil estão contemplados e já podem contar com o atendimento, por meio do número 188, em suas localidades. Os estados são: Alagoas, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe, Acre, Amapá, Amazonas, Espirito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Piauí, Santa Catarina, São Paulo, Tocantins, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia e Roraima, além do Distrito Federal. Até 30 de junho de 2018, todo o território nacional poderá contar com o atendimento gratuito do CVV.

O telefone ainda é o meio mais utilizado pela população para acessar o apoio emocional oferecido pelo CVV. Esse apoio, realizado por voluntários, permite falar sobre sentimentos, em um ambiente acolhedor e seguro. Esse apoio comprovadamente alivia a ansiedade, o desespero e conduz ao afastamento de eventuais pensamentos suicidas.

Em setembro de 2017, o Ministério da Saúde lançou a campanha de Prevenção do Suicídio com o tema: “Saber, Agir e prevenir”. O objetivo foi esclarecer que, apesar de sua complexidade, o suicídio pode ser prevenido. Materiais informativos, como cartilhas, folhetos e orientações de onde procurar ajuda foram divulgados no site do MS e em toda a imprensa nacional. É importante saber, por exemplo, quais são os sinais de alerta, o que podemos fazer e o que não podemos sob uma situação de risco de suicídio, entre outras coisas.

Por Carolina Valadares, da Agência Saúde
Atendimento à Imprensa - (61) 3315-3580/3395

Assuntos em destaques

Fim do conteúdo da página