Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Banner estatico portal 960 x 100

Início do conteúdo da página

4,2 milhões de crianças e gestantes não vacinaram contra a gripe

Escrito por regina.xeyla | | Publicado: Segunda, 03 de Junho de 2019, 12h57 | Última atualização em Terça, 04 de Junho de 2019, 12h07

A meta é vacinar 90% de cada um desses públicos-alvo. Para isso, mais de 10 milhões de doses ainda estão disponíveis. A partir de hoje (03/06), toda a população também pode se vacinar contra gripe no SUS

Crianças e gestantes não atingiram, até o momento, a meta de vacinação da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. De acordo com balanço fechado nesta segunda-feira (03/06) pelo Ministério da Saúde, a cobertura vacinal é de 76% nestes dois grupos. São 3,7 milhões de crianças e 514,5 mil de gestantes que deixaram de se proteger contra a gripe. A meta é vacinar 90% de cada público-alvo. Também estão abaixo da meta os trabalhadores de saúde, com 80,4%, as pessoas com comorbidade, com 75,6%, a população privada de liberdade, com 61,7%, e os profissionais das forças de segurança e salvamento, com 38,9%. Todos os grupos prioritários ainda podem se vacinar, até acabarem os estoques da vacina.

A partir de hoje, a vacinação contra gripe também está disponível para quem não faz parte desses grupos, ou seja, para toda a população. Os grupos prioritários tiveram entre os dias 10 de abril e 31 de maio para se vacinar com exclusividade.

Os grupos que atingiram a meta de 90% durante o período da campanha foram os funcionários do sistema prisional (105,7%), as puérperas - mulheres até 45 após o parto (96,6%), professores (93,8%), indígenas (92,2%) e idosos (90,4%). A escolha do público prioritário no Brasil segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) por serem grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias. A vacina é a forma mais eficaz de evitar a doença.

No total, oito estados bateram a meta de 90%: Amazonas (100,1%), Amapá (99,3%), Pernambuco (95%), Espírito Santo (93,6%), Rondônia (94%), Maranhão (93,5%), Rio Grande do Norte (92,3%) e Alagoas (93,4%). O balanço nacional da campanha ficou em 81,1%. O estado de São Paulo é o segundo com a menor taxa de cobertura (73,78%). Em primeiro lugar está o Rio de Janeiro com 66,33%.

A vacina produzida para 2019 teve mudança em duas das três cepas que compõem a vacina contra gripe, e protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da OMS: A/Michigan/45/2015 (H1N1) pdm09; A/Switzerland/8060/2017 (H3N2); B/Colorado/06/2017 (linhagem B/Victoria/2/87). A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença.

Acesse nossa página temática especializada em gripe

CASOS DE GRIPE NO BRASIL

Neste ano, até 11 de maio, foram registrados 807 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por influenza em todo o país, com 144 mortes. Até o momento, o subtipo predominante de gripe no país é o vírus influenza A (H1N1) pdm09, com registro de 407 casos e 86 óbitos.

TRATAMENTO DA GRIPE

Todos os estados estão abastecidos com o fosfato de oseltamivir e devem disponibilizá-lo de forma estratégica em suas unidades de saúde. Para o atendimento do ano de 2019, o Ministério da Saúde já enviou aproximadamente 9,5 milhões de unidades do medicamento aos estados. O tratamento deve ser realizado, preferencialmente, nas primeiras 48h após o início dos sintomas.

Tabela de cobertura vacinal por UF – Dados de 10 a 31 de maio

Estado

Público-alvo

Vacinas aplicadas

Cobertura

Rondônia

430.942

405.285

94,05

Acre

242.134

189.011

78,06

Amazonas

1.134.938

1.136.245

100,12

Roraima

193.706

165.507

85,44

Pará

2.095.999

1.782.321

85,03

Amapá

203.313

201.945

99,33

Tocantins

423.089

367.068

86,76

Maranhão

1.877.403

1.754.546

93,46

Piauí

905.543

751.281

82,96

Ceará

2.563.445

2.151.868

83,94

Rio Grande do Norte

993.277

917.365

92,36

Paraíba

1.185.997

1.053.603

88,84

Pernambuco

2.644.685

2.514.317

95,07

Alagoas

876.935

819.450

93,44

Sergipe

567.774

492.777

86,79

Bahia

4.107.807

3.224.630

78,50

Minas Gerais

6.077.516

5.375.791

88,45

Espirito Santo

1.053.545

985.922

93,58

Rio de Janeiro

4.902.445

3.251.705

66,33

São Paulo

13.477.738

9.944.020

73,78

Paraná

3.352.193

2.742.149

81,80

Santa Catarina

1.987.390

1.611.911

81,11

Rio Grande do Sul

3.829.699

3.083.829

80,52

Mato Grosso do Sul

801.907

674.089

84,06

Mato Grosso

859.343

755.354

87,90

Goiás

1.862.979

1.619.053

86,91

Distrito Federal

817.939

678.191

82,91

BRASIL

59.469.681

48.649.233

81,81

 

Por Camila Bogaz, da Agência Saúde
Atendimento à imprensa
(61) 3315-3580

Fim do conteúdo da página