Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Banner estatico portal 960 x 100

Início do conteúdo da página
Atenção Primária

Melhores iniciativas no SUS ganham prêmio

Escrito por amanda.mendes | | Publicado: Terça, 29 de Outubro de 2019, 13h09 | Última atualização em Terça, 29 de Outubro de 2019, 13h28

Experiências de Jaraguá do Sul (SC), Salgueiro (RJ) e Abaetetuba (PA) são escolhidas por melhorar o atendimento à população

Foto: Erasmo Salomão / ASCOM MS

Três iniciativas para melhorar o atendimento à população no SUS foram reconhecidas em premiação inédita do Ministério da Saúde. Os vencedores do Prêmio ‘APS Forte: Acesso Universal’ foram apresentados nesta terça-feira (29), durante cerimônia em Brasília (DF). Com experiências bem-sucedidas na área da Atenção Primária em Saúde (APS), os municípios de Jaraguá do Sul (SC), Salgueiro (RJ) e Abaetetuba (PA) foram selecionados e poderão servir de exemplos para outras localidades.

“Nós escolhemos premiar as iniciativas que aumentem o acesso aos serviços da Atenção Primária porque a nossa preocupação principal é com as pessoas. E as pessoas que fazem a Atenção Primária no Brasil estão nos municípios. São os municípios que dão as condições para as equipes de saúde trabalharem e atenderem as pessoas que procuram o sistema de saúde. Por isso, estamos premiando o trabalho das pessoas que atendem as pessoas”, justificou o secretário de Atenção Primária à Saúde, Erno Harzheim. “É ampliando o acesso das pessoas ao SUS que vamos transformar a norma da universalidade em fato concreto”, completou o secretário.

Entre as medidas vencedoras, estão ações para qualificar a abordagem à saúde sexual e reprodutiva de mulheres do município de Abaetetuba (PA). Já os profissionais de Jaraguá do Sul (SC) conseguiram zerar a lista de espera para consultas nas unidades de saúde, apenas com algumas atualizações e avanços nos protocolos de rotina. A cidade de Salgueiro (RJ) observou um alto número de encaminhamentos de alunos de escolas locais aos serviços de saúde, por alterações de comportamento no ambiente escolar, a maioria com diagnóstico de Transtorno do Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH). Com isso, profissionais de saúde identificaram a necessidade de avaliar não só as crianças, mas também o contexto familiar e social em que estavam inseridas.

Os três ganhadores foram selecionados entre 11 experiências bem-sucedidas que chegaram à reta final da apuração e entrarão em um livro de estudos de casos da Atenção Primária. Além disso, os representantes das 11 iniciativas ganharão uma viagem internacional para conhecer o sistema de saúde da Espanha. Ao todo, foram recebidas quase 1,3 mil inscrições para o Prêmio APS Forte, sendo que 946 ações foram indicadas por um comitê técnico formado por Ministério da Saúde, Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e outras instituições do setor. Todas as 946 experiências vão compor uma publicação eletrônica editada pelo Ministério da Saúde e OPAS, chamada Navegador SUS.

Os vencedores foram escolhidos por um time de jurados especiais, como o médico Dráuzio Varella, o apresentador Chico Pinheiro (TV Globo), a colunista Claudia Collucci (Folha de S. Paulo), a radialista Mara Régia (Rádio Nacional), a repórter Lígia Formenti (O Estado de S. Paulo), e os jornalistas Luiz Fara Monteiro (TV Record), Alan Ferreira (TV Globo) e Lise Alves (colaboradora da revista The Lancet). Conheça o time de jurados especiais da premiação.

CONHEÇA OS VENCEDORES:

ABAETETUBA (PA)

Em um município com apenas 53% de cobertura de Saúde da Família e com altos índices de mortalidade de mulheres em idade fértil, de gravidez na adolescência e de casos de sífilis, HIV e Hepatites Virais, os profissionais da Estratégia de Saúde da Família (ESF) viram a necessidade de qualificação para melhorar a abordagem à saúde sexual e reprodutiva dos cerca de 156 mil moradores de Abaetetuba. Eles levaram em conta suas diversidades e singularidades ao longo do ciclo da vida.

O projeto envolveu ações de saúde com adolescentes, adultos e idosos, abordando sexualidade, valorização e respeito. Iniciado em março de 2018, o projeto apresentou resultados no mesmo ano, com aumento no número de atendimentos de pré-natal, atendimentos de saúde sexual e reprodutiva, testes rápidos de Hepatite B, Sífilis e HIV, entre outros. Mais do que melhorar o acesso da população à saúde, o projeto representou o envolvimento da população na garantia do direito à saúde. Saiba mais


JARAGUÁ DO SUL (SC)

A atualização do Protocolo de Enfermagem, por secretarias de saúde com apoio dos conselhos regionais de enfermagem, está ampliando o acesso dos usuários nas unidades de saúde da Atenção Primária. Jaraguá do Sul, cidade com quase 175 mil habitantes em Santa Catarina, registrava, em novembro de 2018 cerca de 15,5 mil consultas/mês reprimidas, somando todas das 25 unidades de saúde da cidade, gerando insatisfação e reclamação dos usuários.

Em novembro de 2018, a gestão local elaborou Protocolo de Enfermagem, gerando mais segurança para a atuação dos enfermeiros da rede municipal. As consultas de Enfermagem e a prescrição de exames e medicamentos essenciais para a população, bem como o processo de acolhimento nas unidades de saúde, foram incorporados na rotina de trabalho dos enfermeiros. Como resultado, em maio de 2019, a secretaria zerou a fila consultas para a APS. Saiba mais


SALGUEIRO (RJ)

A Equipe de Saúde da Família que atende a comunidade do Salgueiro, na Zona Norte do Rio de Janeiro, observou um alto número de encaminhamentos de alunos da escola local por alterações de comportamento no ambiente escolar, a maioria antecipando diagnóstico de Transtorno do Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH). Surgiu aí, para a ESF, a necessidade de avaliar não só as crianças encaminhadas, mas também os contextos familiar e social em que estavam inseridas. No caso, a comunidade do Salgueiro, área de alta vulnerabilidade social.

Foi criado o “Grupo das Crianças”, com encontros na própria escola, com duração média de 45 minutos, em que os profissionais da ESF conduzem o grupo a partir de metodologias e dinâmicas previamente definidas, a fim de facilitar atividades em que as crianças possam demonstrar aquisições e atrasos no desenvolvimento infantil. O trabalho contou com apoio de comerciantes locais e instituições como a Escola de Samba Acadêmicos do Salgueiro, bem como o Conselho Tutelar. Saiba mais


Por Nicole Beraldo, da Agência Saúde
Atendimento à imprensa
(61) 3315-3533/3693

Fim do conteúdo da página