Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Banner estatico portal 960 x 100

Início do conteúdo da página

Manual orienta profissionais no atendimento a pacientes

Escrito por regina.xeyla | | Publicado: Segunda, 16 de Dezembro de 2019, 18h34 | Última atualização em Sexta, 27 de Dezembro de 2019, 13h21

Publicação do Ministério da Saúde é voltada para melhor encaminhamento de pacientes aos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE)

O Ministério da Saúde publicou a 5ª edição do Manual dos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE). O documento é destinado aos profissionais de saúde, que no seu cotidiano precisam encaminhar pessoas para esses centros de forma adequada. A publicação também é direcionada aos profissionais que atuam nesses serviços. Os Centros foram criados há 26 anos, no Sistema Único de Saúde (SUS), para atender pacientes com quadros clínicos especiais, que necessitam de insumos, vacinas e outros imunobiológicos diferenciados. As vacinas de difteria, tétano e DTPa, para crianças com condições especiais e a Pneumo 13, para doenças pneumocócicas, são exclusivamente aplicadas nos CRIEs, por exemplo.

Os atuais 51 Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais, presentes em todas as regiões do país, foram criados com infraestrutura e logística específicas, destinados ao atendimento de indivíduos portadores de quadros clínicos especiais. São crianças e adultos que não podem utilizar imunobiológicos, como vacinas, adotados à população em geral. Nestes casos, ao serem identificados pelos profissionais de saúde, esses pacientes são encaminhados para o CRIE.

O novo manual tem como objetivo orientar os profissionais de saúde quanto à identificação desses pacientes e o devido encaminhamento e/ou indicação do imunobiológico apropriado àquela pessoa ou situação. A publicação também pode ser utilizada como fonte básica de consulta para os profissionais em relação aos processos de formação, atualização e aprimoramento no âmbito do SUS.

Divida em cinco partes, a publicação traz síntese conceitual relacionada à imunologia; indicações dos imunobiológicos oferecidos nos CRIE; detalhamento dos produtos disponíveis, descrevendo a composição, a dose, as contraindicações e os eventos adversos; responsabilidade dos CRIE como serviço do SUS; e a relação dos CRIE em funcionamento no país em 2019. 

Além das vacinas de difteria, tétano e pertussis acelular (DTPa), para crianças com condições especiais e a Pneumo 13, para doenças pneumocócicas, também estão disponíveis nos CRIE: HPV para pacientes de 9 a 26 anos vivendo com HIV/aids, transplantados e oncológicos; Pneumo 23, para doenças pneumocócicas; Meningo ACWY, a pacientes com hemoglobinúria paroxística noturna; febre amarela para portadores de imunodeficiência e outras condições especiais; e a de Imunoglobulinas antitétano, antivaricela, anti-hepatite B e antirrábica.

PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÕES

Uma das atribuições do Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde, é ofertar imunobiológicos às pessoas que apresentam contraindicações aos produtos disponíveis na rede pública de saúde. Dessa forma, ao apoiar a instalação dos CRIEs, o Ministério da Saúde contribui para o fortalecimento dos princípios de universalidade e equidade do Sistema Único de Saúde.

Algumas vacinas, antes ofertadas somente nos Centros de Referência, vêm sendo gradativamente introduzidas na rotina dos serviços de saúde, como a meningite C e a pneumocócica conjugada 10-valente, a varicela, a hepatite A e a difteria, tétano e pertússis acelular para gestantes e profissionais de toda a rede do SUS.

A universalidade da atenção no SUS é garantida pela oferta de 45 imunobiológicos para todos os grupos selecionados, nos 5.570 municípios, nas mais de 37 mil salas de vacinas distribuídas em todo o país.

Da Agência Saúde, com Nucom SVS
Atendimento à imprensa
(61) 3315-3580 / 2745 / 2351

Fim do conteúdo da página