Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Últimas notícias
  4. >
  5. Notícias SAS
  6. >
  7. Força Nacional apresenta detalhes da preparação para a Copa
Início do conteúdo da página

Força Nacional apresenta detalhes da preparação para a Copa

Escrito por Leonardo | Criado: Segunda, 10 de Março de 2014, 16h56 | Publicado: Segunda, 10 de Março de 2014, 16h56 | Última atualização em Quinta, 13 de Março de 2014, 13h31

Iniciativa em parceria com governo alemão e o Sírio-Libanês para construção de planos hospitalares voltados para a competição. Workshops serão realizados em março e abril e terão início em São Paulo

Para promover a construção dos planos hospitalares de contingência das cidades-sede, terá início na segunda-feira (10), uma série de Workshops para capacitação dos profissionais dos hospitais da Rede de Urgência. A iniciativa do Ministério da Saúde, por meio da Força Nacional do SUS (FN-SUS), é realizada em parceria com o governo alemão e a Filantropia do Hospital Sírio-Libanês (HSL) e deve capacitar 600 pessoas entre os meses de março e abril.

A realização dos workshops faz parte da estratégia do Ministério da Saúde em preparar o Brasil para desafios relacionados a realização de grandes eventos como o enfrentamento de ameaças, vulnerabilidades e organização da Rede de Atenção à Saúde no Brasil, por ocasião da realização da Copa do Mundo FIFA 2014 no Brasil e Olimpíadas 2016.

Os Workshops são realizados por meio do Host City Programm (HCP), programa alemão de cooperação do BMZ (Ministério Federal de Cooperação Econômica e Desenvolvimento da Alemanha) e da Engagement Global que visa promover intercâmbio de experiências entre os municípios que sediaram a Copa da Alemanha em 2006 e as cidades-sede brasileiras.

Essas empresas enviarão equipes compostas por médicos especialistas em resgate e situações de emergência, bombeiros e paramédicos – funcionários das cidades-sede da Copa do Mundo da Alemanha. Participarão dos cursos as cidades de São Paulo, Cuiabá, Porto Alegre, Salvador, Natal e Fortaleza. A capital paulista será a primeira a receber o workshop que terá início nesta segunda-feira (10) e será encerrado no dia 14. No Brasil, a execução do programa ficará a cargo da Agência de Cooperação para Desenvolvimento Sustentável do Governo Alemão (GIZ)

O Hospital Sírio-Libanês é o responsável pela viabilização dos workshops, sendo responsável pela logística para a realização do evento como a aquisição das passagens aéreas domésticas para as equipes alemãs, o material que será utilizado nos cursos, equipamentos para as apresentações, equipe e aparelhos de tradução simultânea em cada cidade e hospedagem das equipes.

 

CIDADE

DATA

São Paulo

10/03 a 14/03/2014

Cuiabá

17/03 a 21/03/2014

Porto Alegre

24/03 a 28/03/2014

Salvador

17/03 a 21/03/2014

Natal

24/03 a 28/03/2014

Fortaleza

31/03 a 04/04/2014

 

 

OUTRAS AÇÕES DA COPA

 

  • Em15 de fevereiro, oministro da Saúde, Arthur Chioro, apresentou em São Paulo, a estrutura do sistema de saúde nacional preparada para a Copa do Mundo de 2014;
  • Cerca de 10 mil profissionais de Saúde foram capacitados para atuar durante o evento ao longo dos últimos três anos;
  • As 12 cidades-sede têm um aparato de 531 unidades móveis do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), 66 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), e 67 hospitais que funcionam de forma integrada para fazer o atendimento da população local e dos turistas brasileiros e estrangeiros;
  • As cidades-sede são: Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Manaus (AM), Natal (RN), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP);
  • Em 2011, foi criada a Câmara Técnica Nacional de Saúde, que integra profissionais de diversas áreas dos segmentos do Ministério da Saúde e das 12 cidades e estados que sediarão os jogos para trabalhar de forma padronizada e integrada, estruturando processos de gestão, mapeando os riscos e normatizando o trabalho das ações de vigilância e assistência à saúde no âmbito nacional, estadual e municipal;
  • A expectativa é que, nos locais dos jogos, de 1% a 2% dos torcedores necessitem de algum cuidado médico. Deste percentual, mais de 99% das demandas costumam ser atendidas e resolvidas no local;
  • Em relação aos atendimentos que precisam ser encaminhados para hospitais de alta complexidade, esse número fica entre0,2% e 0,5%;
  •  O perfil do público que costuma frequentar este tipo de evento em sua maioria são jovens adultos, de 25 a 49 anos, que, em geral, são saudáveis e não necessitam de cuidados especializados de saúde;
  • Para monitorar as situações de risco, a demanda por atendimento e vigilância, e dar respostas coordenadas, o Ministério da Saúde criou, em 2011, o Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde (CIOCS), que coordenará as ações de saúde juntamente com as secretarias.
  • Há uma sede em Brasília e um centro regional em cada cidade-sede. Eles serão ativados até 20 dias antes do início da Copa do Mundo e permanecerão ativos algumas semanas após para monitorar o retorno das delegações e turistas aos seus países de origem. Cerca de 1,5 mil profissionais de saúde atuarão nas atividades de campo e de monitoramento;
  • Graças aos CIOCS, foi possível dimensionar os atendimentos realizados durante a Copa das Confederações. Foram atendidos 1.598 torcedores entre os 796 mil que participaram dos jogos. Não houve caso grave registrado. Cerca de 98% das ocorrências foram resolvidas no local;
  • O Ministério da Saúde tem realizado campanha junto aos profissionais que atuam no ramo do turismo (taxistas, profissionais do setor hoteleiro) para tomarem de forma gratuita no SUS vacina contra sarampo - doença comum nos países da Europa;
  • O Ministério da Saúde está usando tecnologia de ponta para desenvolver um aplicativo, destinado aos torcedores, que fornecerá informações úteis sobre saúde, tais como localização de hospitais e farmácias. O aplicativo também monitora informações de saúde em redes sociais e faz o mapeamento de tendências de ocorrências epidemiológicas;
  • O App mapeia o fluxo de viajantes vindo para o Brasil e a situação de risco de seus países de origem por meio da detecção digital de doenças. A partir dos resultados, serão tomadas providências para informar e proteger a população. O aplicativo poderá ser acessado pelo celular;
  • Está no ar uma página do Ministério da Saúde voltada para o viajante (www.saude.gov.br/viajante) onde é possível encontrar as informações mais importantes para prevenção de Saúde. Cartazes e um livro de bolso com as mesmas informações serão afixadas em locais de grande fluxo;
  • O Ministério da Saúde apoiou a FIFA na elaboração do projeto "11 pela saúde", cujo objetivo é disseminar entre alunos de escolas públicas das cidades-sede da Copa do Mundo 11 mensagens sobre saúde e futebol, por meio de 11 vídeos gravados por craques do futebol mundial (Neymar, Lionel Messi, Marta, entre outros);
  • Em parceria com o Programa Conjunto das Nações Unidas para o HIV/AIDS (Unaids), o Ministério da Saúde também lançou a campanha "Proteja o Gol", que prevê a oferta de 1,8 milhão de preservativos e 10 mil testes rápidos, além de aconselhamento por meio de unidades móveis disponíveis nas 12 cidades-sede;

 

 

FN-SUS - Criada em novembro de 2011 para agir no atendimento a vítimas de desastres naturais, calamidades públicas ou situações de risco epidemiológico, a Força Nacional do SUS (FN-SUS) já atuou em 21 missões, sendo oito de desastres naturais, sete de apoio à gestão local nas diversas situações, quatro de desassistência e duas relacionadas à tragédias.

 

A Força Nacional do SUS (FN-SUS) conta com 12.869 voluntários, sendo que 1.470 já foram capacitados para atuar em situações de desastres, desassistência, surtos epidêmicos, tragédias e apoio à gestão. Atualmente, fazem parte da Força, 42 equipes assistenciais por semana epidemiológica para resposta às emergências em Saúde pública e apoio à gestão em eventos de massa.

 

Fim do conteúdo da página