Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Dia D

Início do conteúdo da página

Publicadas 3 monografias de plantas medicinais de interesse ao SUS

Escrito por alexandreb.sousa | | Publicado: Quarta, 21 de Novembro de 2018, 16h00 | Última atualização em Quarta, 21 de Novembro de 2018, 16h22

Publicadas 3 monografias: Mikania glomerata (Guaco), Lippia sidoides (Alecrim-pimenta) e Eucalyptus globulus (Eucalipto). Elas apresentam informações sistematizadas de espécies da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (Renisus)

O que são?

Documentos que reúnem informações farmacopeicas, formas farmacêuticas/formulações utilizadas, além daquelas relacionadas à segurança e eficácia de plantas medicinais de interesse ao SUS.

Mas atenção! As plantas medicinais das monografias não têm, necessariamente, eficácia e segurança comprovadas! E das três espécies publicadas, apenas a Mikania glomerata (Guaco) está na Rename.

Informações constantes nas monografias

  1. Identificação
  2. Informações botânicas
  3. Caracterização e controle de qualidade
  4. Informações de segurança e eficácia
    Usos populares e/ou tradicionais
    Presença em normativas sanitárias brasileiras
    Estudos não clínicos
    Estudos clínicos
    Resumo das ações e indicações
  5. Informações gerais
    Formas farmacêuticas/formulações
    Registros
    Embalagem e armazenamento
    Rotulagem
    Monografias em Compêndios oficiais e não oficiais
    Patentes

Por que foram elaboradas?

Devido à necessidade de:

  • sistematizar as informações já existentes sobre as espécies vegetais de interesse do SUS;
  • direcionar e fortalecer as pesquisas das espécies da Renisus;
  • subsidiar a Conitec e a elaboração de pareceres técnicos para a inclusão de fitoterápicos na Rename;
  • subsidiar regulamentações, elaboração de mementos e formulários terapêuticos pela Anvisa ou pelo Ministério da Saúde;
  • auxiliar gestores e profissionais com informações sobre eficácia e segurança de plantas medicinais;
  • incentivar a produção de medicamentos fitoterápicos por laboratórios públicos e/ou privados, para aquelas espécies com segurança e eficácia comprovadas.

Como foram elaboradas?

Foram contratados pesquisadores com expertise na área e, a partir de método de Avaliação de Tecnologias em Saúde, foram buscadas, analisadas e sistematizadas as informações, constantes em bancos de dados nacionais e internacionais e publicações da Anvisa, sobre as espécies da Renisus.

Como obter?

Inicialmente, estarão disponíveis em www.saude.gov.br/fitoterapicos e poderão ser baixadas.

Fim do conteúdo da página