Ir direto para menu de acessibilidade.
    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Últimas notícias
  4. >
  5. Notícias SESAI
  6. >
  7. Saúde Indígena é tema de oficina em mostra que discute Atenção Básica
Início do conteúdo da página
Experiências

Saúde Indígena é tema de oficina em mostra que discute Atenção Básica

Escrito por Leonardo | Criado: Quinta, 13 de Março de 2014, 11h18 | Publicado: Quinta, 13 de Março de 2014, 11h18 | Última atualização em Quinta, 13 de Março de 2014, 12h10

A Saúde Indígena na Rede de Atenção à Saúde (RAS): desafios para a Atenção Básica foi tema de uma oficina na tarde dessa quarta-feira (12), no primeiro dia da IV Mostra Nacional de Experiências em Atenção Básica/Saúde da Família. O evento está sendo realizado no Centro Internacional de Convenções de Brasília (CICB), até o próximo sábado (15). “O Subsistema de Atenção à Saúde Indígena (SasiSUS) é a porta de entrada do SUS para a saúde indígena. A Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) não é um apêndice, mas um membro do SUS dentro de uma lógica diferenciada”, disse a substituta do Departamento de Atenção à Saúde Indígena (DASI), Danielle Cavalcanti.

Trabalhadores da Sesai, das Casas de Saúde Indígena (Casais), dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs), além de representantes de faculdades e secretarias de saúde, discutiram quais fatores impactam na saúde dos povos indígenas e como organizar os serviços de saúde.

Os participantes apontaram, como problemas para a saúde indígena, a questão da terra, a dificuldade dos profissionais em atender cada etnia em sua especificidade, o deslocamento das equipes para as aldeias, o saneamento, a rotatividade dos profissionais, as disputas políticas, entre outros. Os desafios são melhorar a articulação entre os parceiros, inserir os dados indígenas no Sistema Único de Saúde, manter as escolas indígenas, promover a regionalização da saúde e o Controle Social fortalecido.

A conselheira distrital de Pernambuco, Carmen Pankararu, disse que o Controle Social tem se mostrado contrário ao assédio político-partidário e preocupado com a situação. “Se não houver o reconhecimento de quem efetivamente trabalha em prol da saúde indígena, todos vão continuar vulneráveis. Vai para a saúde indígena quem realmente quer trabalhar, que tenha perfil, seja compromissado. Ainda tem muita coisa para melhorar, mas o que tem de bom precisa ser valorizado no meio de trabalho”.

Mostra
A IV Mostra Nacional de Experiências em Atenção Básica/Saúde da Família, maior encontro de profissionais, gestores e usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), deve reunir cerca de 10 mil pessoas para promover a troca de experiências e reflexões sobre as práticas de saúde na Atenção Básica no país. A mostra contará com mesas redondas, minicursos, oficinas, palestras, espaços para apresentação e discussão de experiências e atividades culturais. 
 
Durante o evento, serão apresentadas 4.351 experiências relacionadas ao tema de todas as regiões do país. Os relatos foram inscritos de agosto a outubro de 2013 por pessoas ligadas a instituições e sociedade civil que desenvolvem experiências na Atenção Básica, ou seja, estudantes, trabalhadores, docentes, gestores e usuários do SUS. Desse total, 100 relatos serão premiados no encerramento da mostra.

Por Graziela Oliveira

Fim do conteúdo da página