Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Banner estatico portal 960 x 100

Início do conteúdo da página
EDUCAÇÃO

Secretário da Sesai dá boas-vindas a estudantes indígenas da UnB

Escrito por Leonardo | | Publicado: Segunda, 11 de Agosto de 2014, 15h18 | Última atualização em Segunda, 11 de Agosto de 2014, 15h20

O secretário Especial de Saúde Indígena, Antônio Alves de Souza, participou do acolhimento aos estudantes indígenas, da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade de Brasília (UnB), na manhã dessa segunda-feira (11). Uma tenda foi montada no campus da universidade para receber os novos alunos, com direito a café da manhã e exposição sobre a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai). Eles ainda receberam informações sobre o Serviço de Atenção Integral de Saúde Indígena da UnB.  

“Quero saudar todos os alunos e alunas. É um momento único, aproveitem bastante, pois o desafio de fazer saúde indígena num país dessa complexidade é muito grande”, disse Antônio Alves na abertura do evento. O secretário ainda enfatizou a importância de os estudantes irem até as aldeias. “Vamos organizar para que eles possam ir ao Xingu em breve. Eles só conhecerão a realidade desses povos quando forem às comunidades”.  

A estudante Rayanne Cristine, da etnia Baré, veio do Alto Rio Negro, no Amazonas, para cursar enfermagem em Brasília. Para ela, o curso que foi uma demanda dos indígenas, também é valioso para os estudantes não indígenas. “O mais importante é falar da situação dos índios. Para ter saúde, eles precisam de terra, educação e de outras particularidades. Conhecer o diferente ajuda a formar o bom profissional”, pontuou.  

Ambulatório
O Serviço de Atenção Integral de Saúde Indígena/ambulatório, inaugurado em abril do ano passado, é um projeto da Universidade de Brasília em parceria com o Hospital Universitário (HUB) para desenvolver um espaço intercultural em saúde onde se articulam os serviços ofertados pelo HUB com os saberes tradicionais dos povos indígenas. Participam professores, pesquisadores e alunos da UnB, além de profissionais do hospital, da Casa de Saúde Indígena (Casai) e da Secretaria Especial de Saúde Indígena. O ambulatório atende pacientes indígenas, acompanhantes encaminhados pela Casai e estudantes indígenas da Universidade de Brasília.  

Por Graziela Oliveira
Foto: Luís Oliveira/Sesai-MS

 

 

Fim do conteúdo da página