Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Banner estatico portal 960 x 100

Início do conteúdo da página

Secretário e vereador indígena discutem a situação do DSEI Kayapó MT

Escrito por Leonardo | | Publicado: Quarta, 11 de Março de 2015, 11h58 | Última atualização em Quarta, 11 de Março de 2015, 11h58

O secretário Especial de Saúde Indígena, Antônio Alves de Souza, e o vereador do município de São José do Xingu (MT), Matudjo Metuktire, estiveram reunidos na manhã dessa terça-feira (10), em Brasília (DF), para buscar soluções ao impasse gerado no Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Kayapó Mato Grosso, ocupado há mais de um mês por um grupo de indígenas. Desde que o movimento foi deflagrado, o DSEI teve as suas atividades administrativas paralisadas, prejudicando o funcionamento dos serviços assistenciais nas aldeias e preocupando dezenas de comunidades de outras etnias que desaprovam a manifestação.

“O DSEI precisa ser liberado para que os profissionais voltem a trabalhar e sem nenhum constrangimento ou forma de pressão. O movimento está prejudicando a própria população indígena atendida pelo distrito. Nós já solicitamos a reintegração de posse da sede do DSEI na justiça e estamos aguardando o resultado. Queríamos que esta solução fosse resolvida da melhor forma possível, mas os líderes do movimento não querem ceder”, lamentou o secretário Antônio Alves.

Alves ressaltou que a Sesai sempre esteve aberta ao diálogo com todas as lideranças indígenas da região e repudiou a forma truculenta e intransigente com que os líderes do movimento estão exigindo exonerações e nomeações para cargos na gestão do distrito. “O movimento não está discutindo melhorias para saúde da população, mas exigindo cargos da administração e consequentes exonerações. Não vamos por pessoas em cargos sem o devido perfil técnico. É preciso, antes de tudo, qualificação para assumir os cargos da gestão do DSEI”, reforçou Alves.

Durante o encontro, o vereador Matudjo Metuktire lamentou a situação a que chegou o movimento. “Estive lá e tentei convencer os líderes a desocupar o distrito e fazer a negociação de forma amigável. Toda a comunidade está preocupada com a paralisação dos serviços. As obras estão paradas, os processos administrativos paralisados. Tentei explicar a eles que o DSEI não é apenas dos Kayapós, mas existem algumas lideranças que não querem ceder”, lamentou.

O secretário Antônio Alves garantiu ao vereador que tão logo o distrito seja desocupado e os serviços normalizados, a Sesai encaminhará uma equipe técnica para ajudar no levantamento das demandas assistenciais e administrativas do DSEI. “Vamos levantar todos os problemas do distrito e construir conjuntamente com a comunidade, por meio dos conselhos locais e distrital de saúde indígena, um plano de ação para resolver todos os problemas apresentados”, reforçou.

Por Felipe Nabuco

 

 

Fim do conteúdo da página