Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Campanha Amamentação 2019

Início do conteúdo da página
EXPEDIÇÃO

SESAI e Expedicionários da Saúde realizam nova ação no Alto Rio Negro

Escrito por Tatiana Teles | | Publicado: Quinta, 23 de Março de 2017, 12h58 | Última atualização em Terça, 08 de Maio de 2018, 14h52

Ações devem focar em procedimentos oftalmológicos e de combate ao tracoma/triquíase

Box Title

Foto: Luís Oliveira/Sesai/MS

Mais uma expedição de saúde na região do Alto Rio Negro será realizada a partir desta sexta-feira (24), na região indígena de Yauaretê, localidade no norte da Amazônia, na fronteira com a Colômbia. Lá, os indígenas da região, formada por índios das etnias Tukano, Hupda e outros povos, terão atendimento clínico, pediátrico e de média complexidade, como cirurgias oftalmológicas e clínica geral.

A 38ª edição dos Expedicionários da Saúde (EDS), realizada em parceria com a Secretaria Especial de Saúde Indígena do Ministério da Saúde (SESAI/MS) e Ministério da Defesa, por meio do Exército e Aeronáutica, vai levar atendimento a cerca de cinco mil indígenas da região.

Já nas ações de triagem de pacientes, iniciadas nesta segunda-feira (20), mais de 230 pessoas receberam atendimento em diversas especialidades médicas e odontológicas, na localidade de Pari Cachoeira. Até esta terça-feira (21), foram identificados 54 pacientes que precisam ser submetidos a cirurgia. A expectativa é que até o início da Expedição sejam atendidos um total de mais de 800 indígenas. Todos que precisarem de atendimento de média complexidade serão transportados por via aérea até a localidade de Yauaretê, trajeto com tempo estimado de 30 minutos, enquanto que por via fluvial este deslocamento pode levar até dois dias.

A atuação dos Expedicionários da Saúde integra o plano reestruturante de saúde para os povos do Alto Rio Negro. Em novembro de 2016, quase três mil indígenas da região do rio Içana receberam os cuidados da expedição.
A triagem de pacientes, realizada desde a última a ação e intensificada nos meses que antecedem o mutirão de cirurgias, constatou que pelo menos 260 pessoas devem ser submetidas a algum procedimento cirúrgico oftalmológico para tratamento de doenças oculares, como pterígio, triquíase e catarata. Cerca de 60 indígenas devem fazer procedimentos de cirurgia geral e centenas receberão atendimento clínico pediátrico, ginecológico e odontológico.

Na ação, a SESAI investe recursos para o transporte logístico e de insumos que vão dar suporte aos 70 profissionais do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Alto Rio Negro envolvidos, outros 50 voluntários EDS e uma centena de militares que vão atuar na segurança e transporte necessário à realização da expedição.

TRACOMA/TRIQUÍASE 

Durante a 37ª Expedição, foi incluída a primeira ação com foco na erradicação da tracoma/triquíase. O objetivo da atividade pioneira é erradicar os casos de tracoma/triquíase entre os indígenas da região de Yauaretê, localizada ao norte do município de São Gabriel da Cachoeira (AM). 

Uma equipe composta por três cirurgiões realizou cirurgias plásticas reparadoras em 32 pacientes. Ação essa que será ampliada nesta nova expedição, com o objetivo de atender o dobro de pacientes que foram diagnosticados com a doença.
Na ação realizada em novembro de 2016, em Assunção do Içana, quase três mil pessoas foram atendidas, sendo 312 cirurgias, com 220 trabalhadores atuantes e outras milhares de pessoas que tiveram atendimento para melhoria na sua qualidade de vida em uma das regiões de mais difícil acesso da Amazônia.

Por Beth Almeida e Tiago Pegon

Fim do conteúdo da página