Ir direto para menu de acessibilidade.
Novo Coronavírus - tire suas dúvidas
Banner teleSUS clique aqui
Início do conteúdo da página

Gerenciamento de resíduos sólidos é tema de capacitação para trabalhadores da saúde indígena

Escrito por André | | Publicado: Quinta, 24 de Maio de 2018, 19h41 | Última atualização em Quinta, 24 de Maio de 2018, 19h41

O evento tem por objetivo qualificar os profissionais dos DSEIs responsáveis pelo gerenciamento de resíduos sólidos e de serviços de saúde da atenção básica

Foto: Alejandro Zambrana/Sesai-MS

O Departamento de Saneamento e Edificações da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai/MS) realiza, até o próximo dia 25, em Brasília, a Oficina de Implementação do Gerenciamento de Resíduos Sólidos no âmbito dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs). Participam cerca de 60 profissionais das áreas de saneamento e atenção em saúde dos DSEIs.

O evento tem por objetivo qualificar os profissionais dos DSEIs responsáveis pelo gerenciamento de resíduos domésticos e de serviços de saúde, buscando o desenvolvimento das ações de forma integrada e contínua, além de formar multiplicadores junto aos demais profissionais dos Distritos.

Segundo o Secretário da Sesai/MS, Marco Antonio Toccolini, o nivelamento de conhecimento entre todos os envolvidos na promoção da saúde é que se deve buscar durante a qualificação. “Gerenciar a destinação dos resíduos sólidos nas comunidades indígenas é um grande desafio, porque exige ações de educação e melhorias dos hábitos de higiene. O foco desta capacitação deve ser a aplicação de uma quebra de paradigmas, respeitando sempre a inteculturalidade, mas articulando ações que possam prevenir a saúde para minimizar a ocorrência de doenças”, afirmou.

O gerenciamento de resíduos constitui-se como um dos maiores desafios da sociedade frente aos conflitos socioambientais, pois as atividades humanas geram cada vez mais resíduos e utilizam matérias primas cada vez mais escassas.  O consumo desenfreado de produtos industrializados, inclusive em comunidades indígenas, o manejo inadequado na disposição final de resíduos constituem sérios problemas para as áreas rurais e mais especificamente nas áreas indígenas.

Para o diretor da área de saneamento da Sesai/MS, João Victorio Feliciani, a Oficina vai oferecer aos profissionais que atuam nas áreas indígenas subsídios técnicos para promover ações que reduzam os impactos ocasionados pela gestão inadequada dos resíduos sólidos.

"O manejo mais adequado dos resíduos sólidos nas áreas indígenas contribue significativamente para a promoção da saúde e prevenção de doenças relacionadas a estes produtos, além de introduzir novos conceitos e incentivar mudanças de comportamento e de paradigmas, transformando assim a qualidade de vida das populações”, destacou.

Durante a qualificação, os trabalhadores vão discutir experiências e casos de sucesso de outros Distritos e trocar experiências na aplicação de ações de gerenciamento de resíduos. Além disso, haverá espaço para palestras técnicas junto a órgãos federativos responsáveis por políticas de saneamento básico, como o Ministério do Meio Ambiente e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), além de formas de educação em saúde junto a escolas e municípios.

Capacitações

A Sesai/MS finalizou, no início deste mês, a 2ª etapa do Curso Nacional de Qualificação e Implementação de ações de garantia da Qualidade da Água em áreas indígenas. O curso teve a finalidade de ampliar o conhecimento dos trabalhadores dos Distritos para atuar com eficácia na promoção de ações que contribuam para a melhoria da qualidade da água consumida em comunidades indígenas.

Ainda este ano, a Sesai/MS tem a expectativa de capacitar mais de mil trabalhadores, realizando oficinas e seminários em várias áreas como: saúde da criança e da mulher; Saúde mental; Qualidade da água para consumo humano; Segurança alimentar; atuação de Agentes Indígenas de Saúde e Saneamento, prevenção e imunizações.

Por Tiago Pegon, do Nucom Sesai
Atendimento à imprensa 
(61) 3315-3580/2351/2745
Fim do conteúdo da página