Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Todas as crianças de 6 meses a menores de 1 ano devem ser vacinadas contra o sarampo

Início do conteúdo da página

SESAI promove oficina com parteiras indígenas em MT

Escrito por Gustavo Frasão | | Publicado: Quarta, 22 de Agosto de 2018, 14h50 | Última atualização em Quinta, 23 de Agosto de 2018, 10h01

Oficina 2

A Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) promoveu, por meio do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Xavante, a 2ª Oficina de Troca de Saberes com Parteiras Indígenas. Realizada entre os dias 13 e 17 de agosto de 2018 na aldeia Namunkurá (Terra Indígena de São Marcos) – pertencente ao município de Barra do Garças /MT) –, o evento reuniu 55 parteiras indígenas daquela comunidade.

O objetivo foi a troca de experiências entre as parteiras e os profissionais das Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena (EMSIs), além de proporcionar a identificação da situação da assistência ao parto domiciliar realizado por parteiras indígenas da etnia Xavante. A Oficina também teve o intuito de valorizar o resgate das práticas tradicionais do manejo ao parto normal, como uma forma de assegurar melhorias na assistência à saúde da mulher e da criança e contribuir para a redução da mortalidade materna e infantil.

Segundo Arielle Costa, enfermeira responsável pelo Programa de Saúde da Mulher e uma das coordenadoras do encontro, “a região foi contemplada devido à baixa incidência de partos naturais tradicionais, porque em 2017 apenas 16% dos partos foram feitos por parteiras. Dessa forma, a iniciativa visou resgatar e fomentar a cultura dessa prática na comunidade e promover um espaço étnico-cultural para discutir a saúde materno-infantil com as parteiras indígenas, o que está inserido nos objetivos propostos pela Agenda Integrada da Criança, no eixo de Fortalecimento do Protagonismo Indígena.

A experiência visa, ainda, qualificar a atenção ao parto, nascimento, crescimento e desenvolvimento da criança de zero a cinco anos. É uma forma de ampliar a rede de atendimento de saúde da mulher, com a participação efetiva da comunidade na valorização de seus costumes e no fortalecimento do protagonismo feminino. Para a parteira indígena Iole Retsihutuwe Werepte, “essa oficina foi importante para fortalecer nosso trabalho na comunidade e com as equipes de saúde; e gostaríamos que a iniciativa chegasse às demais terras indígenas’’.

Conteúdos

É importante destacar que os conteúdos da 2ª Oficina foram adaptados às demandas das próprias participantes e houve inclusão de novos temas: “Saúde Mental na Gestação”; “Uso de Plantas Medicinais no Processo Gravídico Puerperal”; e “Direitos Sociais das Gestantes e Crianças Indígenas’’. Os demais temas envolveram a saúde das mulheres e das crianças: “Trajetória das Parteiras Indígenas; “Saúde Mental na Gestação”; “Abordagem do Pré-natal de Baixo Risco”, “Exames que as Parteiras Podem Realizar”, “Problemas na Gravidez, Parto e Pós-parto”; “Assistência ao Parto Natural Tradicional”; “Uso de Plantas Medicinais no Processo Gravídico Puerperal”; “Cuidados no Puerpério”; “Cuidados com o Recém-nascido”; “Amamentação e Alimentação Tradicional”; “Direitos Sociais das Gestantes”.

A metodologia empregada foi baseada em dramatizações, de forma prática e vivencial. As participantes eram convidadas a encenar o modo de realização dos partos, bem como as condutas adotadas frente a cada temática abordada, como por exemplo casos de partos circular de cordão, partos pélvicos, prematuros e gemelares. Outra atividade lúdica proposta foi o “Cinema na Oca”, no qual houve a exibição de vários vídeos sobre temáticas relacionadas ao evento e rodas de conversas.

A 2ª Oficina de Troca de Saberes com Parteiras Indígenas contou com as participações da equipe de área local; de áreas técnicas da Divisão de Ações de Saúde Indígena (DIASI); com a colaboração da doutora Lissa Fernandes, médica obstetra e ginecologista do município; com Márcia Noleto de Brito, enfermeira obstetra e doula; Pâmela Roberta de Oliveira, coordenadora do curso de Enfermagem da UFMT; e Maíra Taquiguthi e Indiana Petsirei’o, indigenistas da Fundação Nacional do Índio (Funai).

A 3ª Oficina de Troca de Saberes com Parteiras Indígenas está programada para novembro de 2018, na Terra Indígena de Pimentel Barbosa e Areões, do Polo Base de Água Boa (MT). 

Comunicação / SESAI - DSEI-Xavante
Atendimento à imprensa: (61) 3315.3580

Assuntos em destaques

Fim do conteúdo da página