Ir direto para menu de acessibilidade.
    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Últimas notícias
  4. >
  5. Notícias SESAI
  6. >
  7. Pesquisa estuda a atenção à saúde indígena na Bahia
Início do conteúdo da página

Pesquisa estuda a atenção à saúde indígena na Bahia

Escrito por Gustavo Frasão | Publicado: Quinta, 10 de Janeiro de 2019, 17h22 | Última atualização em Quinta, 10 de Janeiro de 2019, 17h22

Usuários, trabalhadores e gestores podem a participar respondendo a formulário

O Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (UFBA), em parceria com o Distrito Sanitário Especial Indígena da Bahia (DSEI-BA) e com a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (SESAB), realiza uma pesquisa mapeando a saúde indígena no estado. O projeto tem como título “A Atenção Diferenciada no âmbito do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena: construindo um diagnóstico crítico da integração entre sistemas médicos nos territórios indígenas da Bahia”.

Parte da pesquisa consiste em apurar relatos de experiência de colaboração entre sistemas de cuidado com todos os tipos de agentes da saúde indígena da Bahia: usuários, trabalhadores e gestores. Para isso, foi lançado um chamamento para que essas pessoas preencham o formulário e contribuam com o estudo.

A pesquisa, coordenada pela professora Mônica de Oliveira Nunes de Torrenté, pretende construir um diagnóstico crítico do presente acerca da relação entre o sistema biomédico e os sistemas tradicionais de saúde indígena, bem como da aplicação do princípio de atenção diferenciada à saúde em territórios indígenas da Bahia. Para isso, será feito um mapeamento das ações que integram a biomedicina e a medicina tradicional indígena. Também serão analisados os hábitos terapêuticos dos indígenas e o nível de participação das comunidades nas estratégias de cuidado à saúde dos habitantes do território.

A Política Nacional de Atenção aos Povos Indígenas (PNASPI) preconiza a adequação cultural e social às práticas e costumes indígenas como forma de fortalecimento de ações de atenção primária à saúde desses povos, aumentando a efetividade do cuidado e a adesão aos serviços de saúde ofertados. 

Para realizar o estudo, foi montada uma metodologia que prevê cinco etapas. As duas primeiras se referem ao desenvolvimento e à validação de um instrumento para chamamento de registro entre diferentes sistemas médicos em territórios indígenas da Bahia. A terceira etapa é a atual, consultando os diferentes agentes envolvidos na saúde indígenam, através de um formulário. As etapas seguintes consistem na construção do diagnóstico crítico a partir das respostas nos formulários e a devolução do resultado aos participantes, divulgação e publicização.

O chamamento para aqueles que quiserem responder ao formulário está aberto até o dia 15/01. Você pode baixar o formulário clicando neste link (https://docs.google.com/document/d/1mbdu1cczpotMyNgA-YPXz8VVdgUh-S7Rphc_qYzQDuk/edit?usp=drivesdk). Dúvidas e formulários podem ser enviados para os e-mails nunesm@ufba.br e/ou sara.mota@saude.gov.br.

Fim do conteúdo da página