Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Dia D

Início do conteúdo da página

Casai de Canarana, no DSEI Xingu, melhora nutrição de indígenas com roça comunitária

Escrito por Gustavo Frasão | | Publicado: Sexta, 22 de Fevereiro de 2019, 15h51 | Última atualização em Sexta, 22 de Fevereiro de 2019, 15h51

Projeto implantado na unidade ajuda a ampliar o acesso a alimentação adequada e saudável aos indígenas em tratamento médico na CASAI

Batata Doce, mandioca, pimenta e frutas passaram a ser produzidas por indígenas para o consumo na Casa de Saúde Indígena que abriga pacientes em tratamento na cidade mato-grossense de Canarana. Assim é o projeto “Roça Comunitária Indígena”, iniciado na Casai Canarana no DSEI Xingu. A plantação tem por objetivo estimular atividades produtivas e ampliar o consumo de alimentos saudáveis. Articulado entre diversos setores do DSEI Xingu e em parceria com a Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, o projeto prevê o incentivo à produção orgânica de alimentos e redução de resíduos orgânicos. Em outubro de 2018, o projeto começou com a plantação de diversas sementes e mudas de tubérculos, temperos e frutas.

Primeira colheita

Além de incentivar a segurança alimentar, o projeto reúne os conhecimentos técnicos e tradicionais dos povos indígenas do Xingu. Para isso, além das parcerias entre as instituições, o protagonismo do indígena na manutenção da roça tem sido de extrema importância. No último dia 8 de fevereiro, foi realizada a primeira colheita de batata doce, que rendeu aproximadamente 15 quilos do tubérculo, cozidos pelas mulheres indígenas junto com a equipe técnica do DSEI Xingu. Algumas ramas foram levadas pelos próprios indígenas para serem plantadas sem suas aldeias.

Desafios e perspectivas

Entre os principais desafios enfrentados para a manutenção da Roça Comunitária, destacam-se a dificuldade de cultivo de folhas e o desiquilíbrio de pragas na região. A produção de alimentos sem agrotóxicos é a principal aposta da equipe do projeto. As próximas etapas consistirão no desenvolvimento de uma composteira e na produção de biogás, a partir do lixo orgânico gerado pela cozinha da CASAI. Os indígenas vão contar com a parceria técnica de uma equipe da Empresa Mato-Grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (EMPAER-MT).

Por NUCOM / SESAI
Atendimento à imprensa:
(61) 3315.3580

Fim do conteúdo da página