Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

banner vacina2019 v2

Início do conteúdo da página

Tenda expõe estrutura de edificações e saneamento da Saúde Indígena

Escrito por Leonardo | | Publicado: Sexta, 24 de Janeiro de 2014, 10h36 | Última atualização em Sexta, 06 de Dezembro de 2013, 10h36

Uma tenda montada no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB), local onde acontece a 5ª Conferência Nacional de Saúde Indígena (5ª CNSI), expõe a estruturação de edificações e saneamento da saúde indígena. É uma forma de os participantes da Conferência conhecerem os programas a serem implementados e aqueles em fase de execução pela Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), do Ministério da Saúde.

Entre os projetos, tem despertado o interesse de quem visita o estande montado no 1º  pavimento do evento, do programa de Requalificação das Unidades Básicas de Saúde Indígena (UBSI), sob a responsabilidade do Departamento de Saneamento e Edificações em Saúde Indígena (DSESI).

“Esta proposta de recuperar a rede física das unidades do SasiSUS tem como base de construção o conceito de arquitetura modular, que além do baixo custo financeiro é concluído em curto prazo de tempo”, explica o diretor do DSESI, Carlos Madson Reis. Além disso, segundo ele, melhora a qualidade de atendimento, através de estudos de identificação das demandas de cada região, cujas obras são edificadas de acordo com as necessidades ambientais e culturais das aldeias.

De acordo com os dados levantados pelo DSESI, atualmente são 1.443 unidades existentes, sob a jurisdição dos 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), sendo 1.380 próprias e as outras alugadas. Nessa lista incluem 75 Casas de Saúde Indígena (Casai), 349 sedes de Pólos Base, 966 Postos de Saúde, 15 unidades de apoio e 38 sedes de DSEI.

Ainda, segundo o diretor Carlos Madson, os dados do Plano Distrital indicam que atualmente existe um déficit em torno de mil unidades de saúde, entre obras novas e a serem reformadas/ampliadas. Porém, ele ressalta que há boa perspectiva de recuperação nos próximos dois anos. “Embora diante dos desafios, já avançamos muito nesses últimos anos”, lembra, apontando que em 2013 mais de 500 projetos estão em execução.

Conforme o quadro de resumo da programação de edificações 2013, são 112 obras e desse total, 58 são de reforma/ampliações e 54 de implantação com edificações novas.

Por João Bosco de Araújo
Foto: Luís Oliveira/Sesai-MS

Fim do conteúdo da página