Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

INFORME AS DOSES E ESTOQUES DAS VACINAS EM SEU MUNICÍPIO ATÉ 30/11

Início do conteúdo da página

2ª Reunião de indicadores de monitoramento e avaliação da Política Nacional de Saúde da População Negra aconteceu em Brasília

Escrito por Tatiana Teles | | Publicado: Terça, 28 de Novembro de 2017, 16h00 | Última atualização em Terça, 28 de Novembro de 2017, 16h00

Várias áreas se reuniram para a construção de indicadores

Fotos: Tania Mello

Aconteceu hoje (17) a 2ª reunião técnica deste ano sobre a “Avaliação da implementação da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra (PNSIPN): indicadores de monitoramento e avaliação” em Brasília/DF. Promovida pela Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde (SGEP/MS), em continuidade à 1ª reunião ocorrida nos dias 18 e 19 de setembro, tem como objetivo construir indicadores para o monitoramento e avaliação da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra.

A Diretora Substituta do Departamento de Apoio à Gestão Participativa e ao Controle Social (DAGEP/SGEP/MS), Wanessa Une, enalteceu a importância da continuidade desta pauta, logo após o lançamento da Campanha de Saúde da População Negra no último dia 21. “Estamos à frente de uma Política que merece todo o nosso engajamento e trabalho. É necessário construir políticas públicas com dados científicos por meio de parcerias técnicas. Além da Campanha de Saúde da População Negra, vamos avançar com o uso de dados e indicadores epidemiológicos que serão construídos. Estamos falando de 53,9% da população em situação de extrema vulnerabilidade, precisamos ver a Política com um olhar mais atento e acolhedor, combatendo o racismo institucional e promovendo a equidade em saúde”.

A segunda etapa da reunião está destinada a identificar possíveis indicadores da Política Nacional de Atenção Integral à Pessoa com Doença Falciforme (PNAIPDF) que possam vir a compor a Sala de Apoio à Gestão do Ministério da Saúde e será realizada pela parceria entre a coordenação da PNAIPDF, da PNSIPN (DAGEP/SGEP), o DEMAS/SE e a CGIAE/SVS.

Esta etapa do projeto mobiliza o Departamento de Apoio à Gestão Participativa e ao Controle Social (DAGEP/SGEP/MS), o Departamento de Monitoramento e Avaliação do SUS (DEMAS/SE/MS), o Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis e Promoção da Saúde (DANTPS/SVS/MS), o Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/AIDS e das Hepatites Virais (IST/AIDS/SVS/MS), a Coordenação-Geral de Saúde das Mulheres (CGSMu/DAPES/SAS/MS), a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Ministério dos Direitos Humanos (SEPPIR/MDH), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Secretaria Estadual de Saúde da Bahia (SES/BA), a Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre (SMS/POA), o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS), o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), o Instituto de Saúde (SES-SP), dentre outros órgãos para apresentação dos indicadores da PNSIPN e ou indicadores de combate ao racismo à Coordenação da Política Nacional de Saúde da População Negra (DAGEP/SGEP/MS) e à SEPPIR/MDH.

Em 2016 foram realizadas três reuniões. Na primeira, foram identificadas experiências exitosas municipais e estaduais de implementação da Política. Na segunda, gestores apontaram as facilidades e dificuldades de implementação e na terceira identificaram os indicadores de combate ao racismo e ou indicadores da PNSIPN.

Política Nacional de Saúde Integral da População Negra – Instituída em 2009, por meio da Portaria nº 992, de 13/05/09, a Política Nacional de Saúde Integral da População Negra tem como marca o reconhecimento do racismo, das desigualdades étnico-raciais e do racismo institucional como determinantes sociais das condições de saúde. Tem por objetivo geral promover a saúde integral da população negra, priorizando a redução das desigualdades étnico-raciais, o combate ao racismo e à discriminação nas instituições e serviços do SUS.

Por Caroline Oliveira, do Nucom da SGEP
Atendimento à imprensa
(61) 3315-3580 / 2745 / 2351

 

Fim do conteúdo da página