Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Todas as crianças de 6 meses a menores de 1 ano devem ser vacinadas contra o sarampo

Início do conteúdo da página

Ministério da Saúde envia medicamentos para Serra Leoa

Escrito por Leonardo | | Publicado: Quinta, 28 de Agosto de 2014, 09h49 | Última atualização em Sexta, 05 de Setembro de 2014, 11h18

Os cinco kits totalizam 1,2 tonelada de medicamentos e insumos em saúde. A medida tem como meta fortalecer as ações de ajuda para o controle da doença.    

O Ministério da Saúde envia nesta quarta-feira (27) cinco kits com medicamentos e insumos em saúde para Serra Leoa, país situado no oeste da África, acometido pela epidemia de Ebola. A carga está sendo despachada pelo aeroporto de Guarulhos em São Paulo, com conexão para Paris (França) até Guiné, onde seguirá via terrestre até Serra Leoa. No total, 1,2 tonelada de medicamentos vão fortalecer as ações para interromper a transmissão da doença.

A doação é uma resposta do Brasil ao chamamento da Organização Mundial da Saúde (OMS) por apoio e cooperação internacional. A ajuda do Brasil aos países com transmissão de Ebola começou em junho, com a doação de quatro kits para a Guiné. Também está previsto o envio de mais cinco kits para a Libéria.

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, considera que o envio de medicamentos e insumos é fundamental para equipar os profissionais de saúde que estão atuando na região. “Nós estamos seguindo as recomendações da OMS de ajuda para controlar a epidemia de Ebola na África Ocidental”, afirmou Chioro. Os kits contêm 48 itens, sendo 30 tipos de medicamentos, incluindo antibióticos e anti-inflamatórios, e 18 insumos para primeiros-socorros, como luvas e máscaras. Cada kit é suficiente para atender cerca de 500 pessoas por três meses.

BOATOS – O Ministro da Saúde reafirmou que não há caso suspeito ou confirmado de Ebola no Brasil. “As informações que estão circulando na internet não são verdadeiras. Nós estamos combatendo esses boatos por meio das redes sociais do Ministério da Saúde e na nossa página oficial, para que a população tenha acesso a informações transparentes e verdadeiras sobre a doença”, explicou Chioro.

O ministro classificou este tipo de informação como um “desserviço” à sociedade brasileira. Ele  destacou que o risco de transmissão da doença no país é considerado baixo. De acordo com os dados oficiais da Organização Mundial da Saúde (OMS), os países acometidos pela epidemia de ebola são Guiné, Libéria e Serra Leoa, todos situados na África Ocidental.

Para o secretário de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa a transmissão do Ebola para outros continentes é considerada baixa. "Como a doença é transmitida pelo contato direto com sangue, secreções, órgãos e outros fluidos corporais de pessoas ou animais infectados, a transmissão para outros continentes é pouco provável”, esclarece o secretário.

O Ministério da Saúde recebe, diariamente, informações da OMS sobre a situação de circulação de vírus no mundo, inclusive o Ebola, além de quaisquer outras situações que possam se caracterizar como emergência de saúde pública. Além disso, a organização não recomenda quaisquer medidas que restrinjam o comércio ou o fluxo de pessoas com os países afetados.

Nas últimas semanas foram feitas videoconferências com todas as secretarias estaduais de saúde com objetivo de orientar sobre os procedimentos para um remoto caso de Ebola no país. Além disso, foram enviadas normas técnicas para preparação da rede de saúde.

 

Veja também: Governo doa R$ 1 mi para combate ao Ebola na África

 

Por Amanda Mendes, da Agência Saúde – ASCOM/MS
Atendimento à Imprensa
(61) 3315-3580 e 3315-2577

Assuntos em destaques

Fim do conteúdo da página