Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

borboletas

Início do conteúdo da página

Perguntas e Respostas

Escrito por alexandreb.sousa | | Publicado: Quinta, 27 de Março de 2014, 15h31 | Última atualização em Terça, 15 de Julho de 2014, 10h01

O que é?

É uma doença infecciosa aguda transmissível que compromete o aparelho respiratório (traqueia e brônquios) e se caracteriza por paroxismos de tosse seca.

Qual o microrganismo envolvido?

Uma bactéria chamada Bordetella pertussis.

Quais os sinais e sintomas?

Acessos de tosse (5 a 10 tossidas) em uma única respiração, guincho, profusão da língua, cianose, apneia e vômitos pós-tosse.

Como se transmite?

Ao falar, tossir ou espirrar.

Como tratar?

Com antibioticoterapia (prescrita por profissional médico). Devido as evidências científicas em relação aos benefícios tais como a redução dos efeitos colaterais graves e a falta de adesão à quimioprofilaxia, por parte dos contatos à Eritromicina e de acordo com a disponibilidade, o Ministério da Saúde passa a definir  como a droga de escolha, tanto para o tratamento como para quimioprofilaxia da coqueluche a azitromicina. E, como segunda opção, a claritromicina. Nos casos de contraindicação ao uso desses macrolídeos, recomenda-se o sulfametoxazol associado ao trimetoprin.

A eritromicina ainda pode ser usada, no entanto, está contraindicada para crianças menores de 1 mês de idade e nas situações de  intolerância ou dificuldade de adesão. 

Como se prevenir?

Vacinação é o principal meio de controle. Crianças até sete anos devem ser vacinadas contra a coqueluche.

 

Fim do conteúdo da página