Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

borboletas

Início do conteúdo da página
Acidentes por animais peçonhentos

Viajantes Meningites portal

Escrito por alexandreb.sousa | | Publicado: Quinta, 21 de Agosto de 2014, 10h29 | Última atualização em Terça, 12 de Setembro de 2017, 11h54

Viagens e migrações internacionais podem facilitar a propagação intercontinental da doença meningocócica na medida em que os indivíduos podem ter exposição à sorogrupos de meningococos não encontrados em seus países. No mundo, as maiores incidências de doença meningocócica ocorrem em regiões semiáridas e subsaarianas da África em uma região conhecida como o "cinturão da meningite", que vai do Senegal, na parte oeste, até a Etiópia, no leste. Devido à transmissão ser respiratória, o risco de adquirir a doença também é aumentado em condições de superlotação e proximidade prolongada entre as pessoas.
Na Arábia Saudita, por exemplo, os surtos de doença meningocócica em eventos religiosos levaram o governo a exigir que os peregrinos do Hajj e Umrah recebam uma dose da vacina meningocócica tetravalente – que protege contra os sorogrupos A, C, Y e W135 - pelo menos 10 dias antes de entrarem no país. É importante que viajantes procurem orientação por profissionais especializados em saúde dos viajantes antes da viagem e verifiquem a necessidade de serem vacinados. Além disso, alguns cuidados com higiene podem ajudar na proteção contra as doenças, como: lavar sempre as mãos e não compartilhar objetos de uso pessoal.

>> Saiba mais em Saúde do Viajante

 

Fim do conteúdo da página