Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

borboletas

Início do conteúdo da página

Informações Técnicas

Escrito por alexandreb.sousa | | Publicado: Quarta, 02 de Julho de 2014, 11h33 | Última atualização em Terça, 01 de Dezembro de 2015, 15h35

Aspectos clínicos

A sintomatologia surge nas primeiras horas, dependendo do tipo e da quantidade de veneno inoculado. O acidente botrópico provoca edema, dor e necrose local e sangramentos à distância que podem estar também presentes no envenenamento laquético, acrescidos de náuseas, vômitos, diarreia e hipotensão. O acidente crotálico apresenta alterações locais inexpressivas, predominando ptose palpebral e turvação visual, dores musculares e alteração da cor da urina. A insuficiência renal aguda é uma das complicações que pode levar o paciente a óbito. O envenenamento elapídico provoca ptose palpebral, turvação visual e, mais raramente, paralisia de músculos respiratórios.

Aspectos laboratoriais

Não existem exames laboratoriais para confirmação do diagnóstico. Exames de coagulação, hemograma e função renal são importantes para o monitoramento da soroterapia e acompanhamento das complicações.

Aspectos ambientais

As serpentes estão presentes em diversos ambientes na maioria rurais, e à medida que ocorrem desmatamentos, aproximam-se e adaptam-se ao meio modificado pelo homem, dificultando o seu controle. O crescimento desordenado das cidades muitas vezes não é acompanhado por uma infraestrutura de saneamento, resultando em acúmulo de lixo e proliferação de roedores. Esses acabam atraindo serpentes peçonhentas para áreas urbanas e aumento no número de acidentes.

Outras informações de relevância para o agravo

No atendimento aos acidentados, não se recomenda usar torniquete ou garrote, fazer incisões ou colocar qualquer substância no local. O tempo decorrido entre o acidente e o atendimento é o fator mais importante para a boa evolução. Os soros estão disponíveis em unidades de saúde referência em todos os Estados.

 

NOTA INFORMATIVA - Alerta aos serviços de saúde e de vigilância das Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde sobre os riscos de acidentes por animais peçonhentos nos meses de verão.

 

 

Fim do conteúdo da página