Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Opções de acessibilidade

Campanha Amamentação 2019

Início do conteúdo da página
Fimose: o que é, causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção

Fimose: o que é, diagnóstico, causas, sintomas e cirurgia

Escrito por Gustavo Frasão | | Publicado: Sexta, 16 de Agosto de 2019, 10h47 | Última atualização em Sexta, 16 de Agosto de 2019, 17h31

O que é fimose?

Fimose é o excesso de pele que recobre o pênis dificultando que a glande (cabeça do pênis) seja exposta. Esta condição é comum nos bebês meninos e tende a desaparecer com o passar do tempo, mas se na adolescência o problema persistir pode ser necessária uma intervenção cirúrgica simples para remoção da pele.

Em homens adultos, pode provocar, além do câncer de pênis, problemas no desempenho sexual. Nas crianças, é comum causar dor e inflamação. A cirurgia de fimose é fornecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas o tratamento adequado é feito caso a caso, conforme orientação médica.

Tipos de fimose:

A fimose pode ser classificada em dois tipos:

  • Fimose fisiológica: é a condição mais comum, que está presente desde o nascimento.

  • Fimose secundária: pode surgir em qualquer fase da vida e ocorre após um quadro de infecção ou traumatismo local, por exemplo.

 

O que causa a fimose?

A fimose infantil tem cura e nem sempre é necessária intervenção cirúrgica ou tratamento específico, tendo em vista que a condição pode se resolver naturalmente com o passar do tempo. Por isso, o pediatra deve avaliar caso a caso.

Quando um bebê do sexo masculino nasce é comum que ele apresente dobra de pele que protege o pênis, aderindo à extremidade do órgão, conhecida como glande (cabeça do pênis). Com seis meses de idade, 20% das crianças já apresentam o prepúcio retrátil. Aos três anos, cerca de 50% dos meninos já o retraem facilmente e aos 17 anos, o número chega a 99% dos casos. Essa é a causa mais comum da fimosa.

Entretanto, a fimose também pode ser causada por episódios repetidos de infecção na pele ou na glande durante os primeiros anos de vida ou mesmo na adolescência e fase adulta. Esse quadro desencadeia uma piora da pele que envolve a glande, impossibilitando que ela seja exposta.

 

IMPORTANTE: A fimose, se não tratada, pode provocar câncer do pênis e outras doenças, uma vez que o excesso de pele dificulta a higienização correta do local.

Como saber se é fimose (diagnóstico)?

O diagnóstico da fimose é feito apenas pelo exame físico, durante avaliação clínica pelo médico urulogista, que constata que a glande (cabeça do pênis) não consegue ser exposta quando a pele é retraída, ou seja, a única forma de confirmar a presença da fimose é tentar retrair a pele que recobre a glande do pênis manualmente.

Quando não é possível ver completamente a glande, isso representa a fimose. A primeira verificação da presença da fimose é feita no bebê recém-nascido, mas faz parte de todas as consultas com o pediatra até os 5 anos. 

No caso da fimose secundária, que pode surgir na adolescência ou a vida adulta, o próprio homem pode observar se existe alguma dificuldade na retração da pele, e se esta for verificada, recomenda-se uma consulta com um urologista para melhor avaliação e escolha do tratamento mais eficaz.

Qual o tratamento da fimose?

São indicados os seguintes tratamentos para fimose:

  • Pomadas à base de corticóides, que possuem propriedades anti-inflamatórias, analgésicas e antibióticas facilitando que a pele deslize sobre a glande.

  • Exercício de retração da fimose para meninos com mais de 5 anos. É um exercício para retração da pele do prepúcio sem forçar demais ou causar dor. Esse exercício deve ir soltando a pele pouco a pouco.

Cirurgia de fimose 

  • Cirurgia, indicada quando as outras formas de tratamento não surtem efeito. A cirurgia pode ser feita removendo completamente a camada de pele que recobre a glande do prepúcio ou realizando apenas um ou vários pequenos cortes na pele, que sejam suficientes para permitir que a pele impessa a retirada da glande.

  • Além da retirada dessa pele, o médico pode ainda realizar um corte que liberta o freio curto do pênis.

Um dos tratamentos cirúrgicos da fimose é a postectomia ou a posteoplastia. Ambas as intervenções são realizadas de forma simples e apresentam poucas chances de complicações. A cirurgia é indicada apenas em casos específicos, uma vez que o procedimento não é indicado para todos os casos.

Em pacientes adultos, a cirurgia pode ser realizada com anestesia local por meio do bloqueio peniano e, em crianças, o procedimento é melhor realizado sob anestesia geral. A cirurgia deve ser feita normalmente, antes da adolescência, porque a fimose pode interferir na qualidade da atividade sexual e, excepcionalmente, pode comprometer a fertilidade, dificultando a saída de sêmen.

Se a família optar pela circuncisão por motivos culturais ou religiosos, esta deve ser realizada preferencialmente no período neonatal.

IMPORTANTE: A cirurgia para fimose não pode ser realizada em situações como dificuldade na coagulação sanguínea, infecção local ou em caso de anormalidades no pênis, como hipospadia ou pênis embutido, porque nestes casos pode ser preciso aproveitar a pele do prepúcio para reconstrução de outros tecidos da região genital.

Quais complicações a fimose pode causar?

Fimose: o que é, diagnóstico, causas, sintomas e cirurgiaAlém de ser um dos principais fatores para o câncer de pênis, a fimose pode provocar outras complicações, se não tratada adequadamente, devido ao risco de dificuldade de limpeza na região, como:

  • aumento do risco de infecção urinária;

  • dor nas relações sexuais;

  • maior propensão a ter uma DST, HPV ou câncer de pênis;

  • maior risco de desenvolver uma parafimose, que é quando o prepúcio fica preso e não volta a recobrir a glande.

 

Fimose não causa impotência! Dependendo do grau, pode haver incômodo pois a glande fica presa no prepúcio gerando maior atrito, mas não prejudicam a ereção

Qual a diferença entre a fimose e a aderência?

Existe um outro problema que por vezes é confundido com a fimose, que é a condição conhecida como aderência. A aderência é como se fosse uma "cola" na pele, que fica grudada na glande (cabeça do pênis). No entanto, a aderência cede naturalmente, o que dispensa intervenção cirúrgica ou outro tipo de tratamento.

Já a fimose ocorre quando a pele não está "colada" na glande, mas a aperta e impede que seja exposta. 

A fimose também atinge mulheres?

Apesar de ser um problema que acomete principalmente os homens, em casos raros as mulheres também podem ter. A fimosa femenina acontece quando há aderência entre os pequenos lábios da vagina, que tapam completamente a abertura vaginal.

É uma condição rara e que quando não se resolve naturalmente, o tratamento mais indicado para solução definitiva é aplicação de pomada com estrôgeno, receitada por médico especializada conforme cada caso.

Como prevenir a fimose?

Não é possível prevenir a fimose, uma vez que a formação da pele que encobre a cabeça do pênis (glande) ocorre ainda na vida fetal e varia conforme cada caso, baseado na genética de cada pessoa.

registrado em:
Fim do conteúdo da página