Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Banner estatico portal 960 x 100

Início do conteúdo da página
Malária: o que é, causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção

Alerta para as Vigilâncias Epidemiológicas das Secretarias Estaduais e Municipais de saúde, sobre leptospirose em situações de desastres naturais, como enchentes

Escrito por Alessandra Bernardes | | Publicado: Segunda, 19 de Fevereiro de 2018, 10h01 | Última atualização em Segunda, 19 de Fevereiro de 2018, 10h09

Em todos os anos, nos meses de verão, uma das principais ocorrências epidemiológicas após as inundações é o aumento do número de casos de leptospirose. Diante disso, visando alertar as vigilâncias epidemiológicas das Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, sobre condutas em situações de desastres naturais como enchentes, a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS) informa:

  1. Em situações de desastres naturais como enchentes, os indivíduos ou grupos de pessoas que entraram em contato com lama ou água, por elas contaminadas, podem se infectar e manifestar sintomas da doença.
  2. Nos desastres naturais, as seguintes recomendações devem ser adotadas:
  • Divulgar informes sobre o risco de leptospirose para a população exposta à enchente;
  • Divulgar informes sobre a necessidade de avaliação médica para todo indivíduo exposto a enchente que apresente febre, mialgia, cefaléia ou outros sintomas clínicos no período de até 30 dias após contato com lama ou águas de enchente;
  • Divulgar informes sobre medidas potenciais para evitar novas ou continuadas exposições a situações de risco de infecção;
  • Alertar os profissionais de saúde sobre a possibilidade de ocorrência da doença na localidade de forma a aumentar a capacidade diagnóstica;
  • Manter vigilância ativa para identificação oportuna de casos suspeitos de leptospirose, tendo em vista que o período de incubação da doença pode ser de 1 a 30 dias (média de 5 a 14 dias após exposição);
  • Notificar todo caso suspeito da doença, para o desencadeamento de ações de prevenção e controle;
  • Realizar tratamento oportuno de todo caso suspeito.

O uso de quimioprofilaxia não é recomendado pela SVS/MS como medida de prevenção em saúde pública, em casos de exposição populacional em massa, por ocasião de desastres naturais como enchentes.

Nestas situações de desastres naturais como enchentes, a orientação para profissionais de saúde, militares e de defesa civil que se expuserem ou irão se expor a situações de risco, durante operações de resgate, é utilizar Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e ampliar o grau de alerta sobre o risco da doença entre os expostos, de forma a permitir o diagnóstico precoce de pacientes e tratamento oportuno.

Para informações adicionais, contatar o grupo técnico por meio do telefone (61) 3315-3563 ou pelo e-mail: gt-roedores@saude.gov.br

Fim do conteúdo da página