Ir direto para menu de acessibilidade.
    Você está aqui:
  1. Página inicial
  2. >
  3. Saúde de A a Z
  4. >
  5. Nascidos Vivos
  6. >
  7. Saúde de A a Z
  8. >
  9. Malária
  10. >
  11. Malária grave e complicada por P. falciparum ou P. vivax
Início do conteúdo da página

Malária grave e complicada por P. falciparum ou P. vivax

Escrito por alexandreb.sousa | Criado: Quinta, 03 de Abril de 2014, 11h10 | Publicado: Quinta, 03 de Abril de 2014, 11h10 | Última atualização em Sexta, 10 de Abril de 2015, 09h23

 

A malária grave deve ser considerada uma emergência médica e o tratamento específico para malária deve ser administrado em conjunto com medidas de suporte à vida do paciente. Preferencialmente, o tratamento deve ser feito com artesunato por via endovenosa por 6 dias associada à clindamicina endovenosa por 7 dias, devido ao seu rápido efeito na diminuição da parasitemia. Diante da impossibilidade de uso de medicação endovenosa, ou como dose inicial antes do envio do caso para a referência mais próxima, pode ser utilizado o artemeter intramuscular que, se mantido, deve durar por 5 dias e deve ser associado à clindamicina intramuscular por 7 dias.

 

Conforme a atual recomendação da OMS, e de acordo com o Subcomitê de Terapêutica e assessoramento do PNCM, o artesunato EV deve ser usado em todas as formas de malária grave em adultos e crianças (e quando este não estiver disponível deve-se usar artemeter ou quinino).

 

>> Para mais informações, consulte o Guia prático de tratamento da malária no Brasil

 

Fim do conteúdo da página