Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Assessoria de Assuntos Internacionais em Saúde

Dinamarca

Escrito por Alessandra Bernardes | | Publicado: Segunda, 22 de Maio de 2017, 15h15 | Última atualização em Segunda, 29 de Janeiro de 2018, 14h49

As relações entre Brasil e Dinamarca são cordiais, havendo convergências e afinidades entre os valores e as posições de ambos os países sobre temas da agenda internacional. Brasil e Dinamarca defendem a solução pacífica de controvérsias e valorizam o papel de organizações internacionais como foros para a cooperação internacional. A Dinamarca apoia a candidatura brasileira a assento permanente em um Conselho de Segurança reformado, tendo co-patrocinado projeto de resolução apresentado pelo G-4 (Alemanha, Brasil, Índia e Japão) na 59ª Assembleia Geral da ONU.

Perspectiva da cooperação

A cooperação com a Dinamarca na área de saúde é bastante recente, tendo início em 2014, com a assinatura de Carta de Intenções entre os Ministérios da Saúde dos dois países. O documento prevê as seguintes áreas prioritárias para a cooperação: intercâmbio de boas práticas em políticas públicas de saúde; soluções inovadoras para a sustentabilidade de sistemas públicos de saúde; intercâmbio de profissionais de saúde, pesquisadores e gestores da saúde; pesquisa e inovação em saúde; e tecnologias da informação e da comunicação aplicadas à saúde.

Em dezembro de 2016, o Ministros da Saúde de ambos os países assinaram o projeto “Cooperação Setorial Estratégica entre Brasil e Dinamarca para apoiar a gestão eficiente da saúde no Brasil”. O projeto prevê cooperação em três áreas complementares de trabalho: o aperfeiçoamento dos dados de saúde e a unificação dos cadastros nacionais de saúde; o aprimoramento do sistema de classificação de pacientes no Sistema Único de Saúde pela metodologia de Grupo de Diagnóstico Relacionado (DRG); e a melhoria da gestão e padronização de terminologias médicas.

As atividades de cooperação tiveram início em fevereiro de 2017, quando técnicos dinamarqueses visitaram o país (Rio de Janeiro, Porto Alegre, Maceió, Goiânia e Brasília) e conheceram em torno de 25 estabelecimentos de saúde. O objetivo era acompanhar os dados desde o registro até o armazenamento, processamento, análise e divulgação dos dados em diferentes estabelecimentos de saúde.

Até dezembro de 2017, foram realizadas 13 diferentes atividades de cooperação dentre visitas técnicas, oficinas de trabalho, capacitação e documentos técnicos. Tais atividades tiveram como resultado prático o início da discussão interna para o estabelecimento de um modelo de gestão de dados, semelhante à experiência dinamarquesa de programa de dados em saúde e posterior autoridade de dados em saúde.

Outro resultado importante desta cooperação foi a construção de um sistema DRG da especialidade de cardiologia para o Brasil, com aplicação no Instituto Nacional de Cardiologia (INC). Essa experiência permitiu a capacitação interna para o uso e elaboração do DRG.

No período de 11 a 13 de dezembro de 2017, ocorreu a primeira Reunião de Alto Nível, no Brasil. Na ocasião, foram apresentados os resultados da cooperação para áreas estratégicas do Ministério da Saúde, bem como relatórios de acompanhamento e prospecção às autoridades do dois países.

Instrumentos Bilaterais:

1. Carta de Intenções entre o Ministério da Saúde do Brasil e o Ministério da Saúde do Reino da Dinamarca, com o objetivo de delinear princípios gerais para o começo de uma troca profícua de experiências e informações, podendo gerar, por decisão das Partes, um programa de cooperação mais estruturada, baseada em projetos conjuntos (2014).

Fim do conteúdo da página