Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Para combater as Fake News sobre saúde, o Ministério da Saúde, de forma inovadora, está disponibilizando um número de WhatsApp para envio de mensagens da população. Vale destacar que o canal não será um SAC ou tira dúvidas dos usuários, mas um espaço exclusivo para receber informações virais, que serão apuradas pelas áreas técnicas e respondidas oficialmente se são verdade ou mentira.

Qualquer cidadão poderá enviar gratuitamente mensagens com imagens ou textos que tenha recebido nas redes sociais para confirmar se a informação procede, antes de continuar compartilhando. O número é (61)99289-4640

>> Leia o regulamento e os termos de uso

falso verdadeiro

 

Escrito por Gustavo Frasão | | Publicado: Segunda, 23 de Março de 2020, 13h28 | Última atualização em Segunda, 23 de Março de 2020, 13h28

Não compartilhe essa mensagem, ela é falsa.

A mensagem possui características de Fake News: dados e informações vagas, erros ortográficos e pede compartilhamento.

O diagnóstico do coronavírus (COVID-19) é feito com a coleta de materiais respiratórios (aspiração de vias aéreas ou indução de escarro). E, em uma suspeita de coronavírus (COVID-19), também é necessária a coleta de duas amostras, que serão encaminhadas com urgência para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen). Uma das amostras será enviada ao Centro Nacional de Influenza (NIC) e outra amostra será enviada para análise de metagenômica. Para confirmar a doença é necessário realizar exames de biologia molecular que detecte o RNA viral.

Além disso, a temperatura do corpo humano é de pelo menos 36°C, assim, beber água a uma temperatura de 26 a 27 °C não traz benefício algum em relação à prevenção ou eliminação do coronavírus (COVID-19), uma vez que no corpo humano o vírus tolera temperatura de pelo menos 36°C.

O período médio de incubação da infecção por coronavírus é de 5.2 dias, com intervalo que pode chegar até 14 dias.

O espectro clínico da infecção por coronavírus é muito amplo, podendo variar de um simples resfriado até uma pneumonia severa. A maioria dos casos apresenta tosse seca e febre, no entanto uma pequena porcentagem também tem sintomas como coriza e dor de garganta.

Do ponto de vista dos sintomas não é possível diferenciar o coronavírus (COVID-19) de outros vírus respiratórios. O diagnóstico depende da investigação clínico-epidemiológica e do exame físico.

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus (COVID-19). Entre as medidas estão:

  • - Lave as mãos com frequência, com água e sabão. Ou então higienize com álcool em gel 70%.
  • - Cubra seu nariz e boca com lenço ou COM O BRAÇO (e não com as mãos!) quando tossir ou espirrar.
  • - Evite contato próximo com pessoas resfriadas ou que estejam com sintomas parecidos com os da gripe.
  • - Quando estiver doente, fique em casa.
  • - Evite tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • - Não compartilhe objetos de uso pessoal (como talheres, toalhas, pratos e copos).
  • - Evite aglomerações e mantenha os ambientes ventilados.

Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção). Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Para saber mais sobre o coronavírus (COVID-19), acesse: https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/coronavirus.

Fim do conteúdo da página