Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Ministro da Saúde inaugura unidade de trauma da Santa Casa de Campo Grande

Escrito por André | | Publicado: Domingo, 25 de Março de 2018, 11h00 | Última atualização em Segunda, 26 de Março de 2018, 16h29

Novo serviço irá garantir mais atendimento para a população da região. Com a inauguração dessa unidade será possível ampliar o número de cirurgias, consultas e internações

Crédito: Erasmo Salomão/MS Trauma MS

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, inaugura, neste domingo (25), a nova Unidade de Trauma da Santa Casa de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. O Ministério da Saúde investiu o valor total de R$ 6,9 milhões para a construção da unidade, que irá ampliar e aprimorar a assistência ao trauma em Campo Grande e região. A expectativa é que a nova unidade de urgência e emergência realize aproximadamente 10 mil internações, nove mil cirurgias e 10 mil consultas por ano, além de ampliar os serviços de diagnóstico clínico e de imagens.

“Aplicamos a primeira parcela para que a Santa Casa inicie o funcionamento e, assim que estiver funcionando, após a vistoria técnica, habilitamos o serviço para que ela receba mensalmente recurso permanente sobre esses serviços que estarão sendo prestados. Esses R$ R$ 6,9 milhões  é o primeiro passo. Devemos continuar apoiando as Santas Casas”, ressaltou o ministro.

O novo serviço contará com 100 leitos de enfermaria, 18 de observação e 10 de UTI, além de cinco salas de cirurgias e três salas de isolamento e será administratada pela Santa Casa de Misericórdia de Campo Grande. Em 201, a Santa Casa de Campo Grande recebeu do Ministério da Saúde cerca de R$ 86 milhões para custeio de internações e atendimentos ambulatoriais. Em 2016, foram repassados cerca de R$ 84,3 milhões para custeio dos procedimentos realizados na unidade.  

Além disso, a Santa Casa também recebe R$ 18,3 milhões anualmente como incentivos de adesão à contratualização do Sistema Único de Saúde (SUS), além de R$ 21,1 milhões repassados para a Rede de Urgência e Emergência do hospital. O Ministério da Saúde também repassa anualmente à unidade R$ 4,7 milhões pela adesão à Estratégia Rede Cegonha.

“A política do Ministério é desospitalizar e investir em ampliação de leitos em unidades especializadas que precisam ser ampliadas. É preciso que os serviços estejam mais próximos das pessoas, o cidadão deve viajar menos para receber assistência”, completou Ricardo Barros.

600 DIAS DE GESTÃO

Mato Grosso do Sul recebeu ao todo, nesta gestão, R$ 301,5 milhões do Ministério da Saúde. R$ 81,3 milhões para habilitar e qualificar 143 serviços e 10 leitos que funcionavam sem a contrapartida federal e R$ 202 milhões em emendas parlamentares que aguardavam publicação desde 2014.

O estado também foi contemplado com R$ 4,9 milhões para habilitar equipes e serviços de Atenção Básica. Também foram habilitadas cinco UPAs 24h entre 2016 e 2017, ao custo de R$ 11,9 milhões anuais. Em janeiro de 2017, o estado de Mato Grosso do Sul também recebeu quatro novas ambulâncias, para renovação da frota do SAMU 192, com investimento de R$ 720 mil. Em fevereiro de 2018, foram anunciadas mais quatro ambulâncias para renovar a frota do estado ao custo de R$ 705,1 mil.

Por Nicole Beraldo, da Agência Saúde
Atendimento à imprensa
(61) 3315-3580 / 3880

Fim do conteúdo da página