Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Ministério da Saúde visita Porto Murtinho para ações de gestão em regiões fronteiriças

Escrito por Gustavo Frasão | | Publicado: Quarta, 11 de Dezembro de 2019, 19h27 | Última atualização em Quarta, 11 de Dezembro de 2019, 19h27

O munícipio de Porto Murtinho (MS) faz parte das ações do Projeto Chaco Sul-Americano

Foto: Divulgação

Com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento e fortalecimento da capacidade gestora do município de Porto Murtinho (MS), a equipe do Ministério da Saúde visitou a região no final de novembro. O encontro contou com a participação da Secretaria Municipal de Porto Murtinho e com o apoio e acompanhamento técnico da Organização Pan-americana de Saúde (OPAS/OMS) e do Ministério da Saúde do Peru.

“O objetivo da visita foi a implementação de uma metodologia que pretende fortalecer o município para as negociações em Recursos Humanos em Saúde no âmbito do Chaco Sul-Americano“, registrou o Diretor Substituto do Departamento de Gestão do Trabalho em Saúde (DEGTS), da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES), Gustavo Hoff.

A ação visa medir a falta de recursos humanos na assistência materno-infantil, em especial nas localidades fronteiriças escolhidas. A metodologia que será implementada já é utilizada pelo Peru e conta com o apoio do escritório Sub-Regional da América do Sul, situada na OPAS do Peru, para implementação no Projeto Chaco Sul-Americano.

Segundo a coordenadora da Atenção Primária do município de Porto Murtinho, Lisandra Jimenez Perez, o encontro foi importante para abrir novos horizontes e motivar os profissionais que participaram do encontro. “E sobretudo mostrou o caminho a seguir para reduzir a mortalidade em nossa região através de ações sólidas que devem ser construídas entre os dois países, Brasil e Paraguai, que garanta um fácil acesso à saúde de qualidade na fronteira, facilitando assim o atendimento à população que mora tanto no lado do Brasil quanto no lado do Paraguai”, finalizou Lisandra.

A equipe local do município ficou encarregada da coleta dos dados necessários para a metodologia, a entrega final dos dados acontecerá em 10 de janeiro de 2020. Após esta etapa, será agendada uma visita ao município para a conclusão das atividades.

Projeto Chaco Sul-Americano

O Chaco Sul-Americano é composto pelos Estados Argentina, Brasil, Bolívia e Paraguai num contexto de alta vulnerabilidade. A iniciativa conta com uma série de ações e atividades estabelecidas e executadas em conjunto com as autoridades sanitárias locais dos vários níveis (federal, provincial, estadual, etc). A fronteira entre Carmelo Peralta, Paraguai, e Porto Murtinho, Brasil, é o eixo fronteiriço diretamente relacionado ao Brasil.

O objetivo central do Projeto é a redução da morbidade e mortalidade materna, neonatal e infantil da região, priorizando as populações fronteiriças em situações vulneráveis, sendo baseado em quatro pilares:

  1. Análise e vigilância em saúde do Chaco com indicadores de desigualdade, etnia, equidade, gênero e direitos humanos;
  2. Saúde materno-infantil na perspectiva do curso de vida;
  3. Redes integrais e integradas de serviços de saúde, nas regiões de fronteira. Pensar as regiões de saúde no sentido em que doenças e mosquitos não respeitam fronteiras; e
  4. Comunidades saudáveis ​​com água potável, saneamento, higiene, segurança alimentar e redução de riscos para desastres naturais.

SGTES

A Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES) é responsável por formular políticas públicas orientadoras da gestão, formação e qualificação dos trabalhadores e da regulação profissional na área da saúde no Brasil. A secretaria é responsável por promover a integração dos setores de saúde e educação para fortalecer as instituições formadoras de profissionais atuantes na área, bem como integrar e aperfeiçoar a relação entre as gestões federal, estaduais e municipais do SUS, no que se refere aos planos de formação, qualificação e distribuição das ofertas de educação e trabalho na área de saúde.

Por NUCOM/ SGTES
Atendimento à imprensa:

(61) 3315.3580

Fim do conteúdo da página