Ir direto para menu de acessibilidade.
Novo Coronavírus - tire suas dúvidas
Banner teleSUS clique aqui
Início do conteúdo da página
Ajuda humanitária

Brasil envia pele humana para vítimas de acidente no Peru

Escrito por amanda.costa | | Publicado: Sexta, 24 de Janeiro de 2020, 20h42 | Última atualização em Sexta, 24 de Janeiro de 2020, 20h54

Serão 20 mil cm² de pele para atendimento de crianças e jovens feridos em uma explosão ocorrida ontem (23) na capital peruana

 

O Governo do Brasil envia, neste sábado (25), 20 mil centímetros quadrados de pele humana ao Peru. Os tecidos irão ajudar no tratamento de queimaduras graves em crianças e adultos, após um acidente com caminhão de gás, nesta quinta-feira (23), que deixou cerca de 50 pessoas feridas em Lima, capital peruana. A iniciativa partiu do Ministério da Saúde brasileiro que ofereceu apoio ao país vizinho.

“Os países precisam se colocar à disposição em tragédias como essa. Ajudar nosso vizinho peruano não é somente um ato de solidariedade, mas também de empatia”, afirma o Ministro da Saúde em exercício, João Gabbardo.

A primeira remessa de pele humana do Brasil será transportada por duas companhias aéreas brasileiras que também se disponibilizaram a ajudar.

Atualmente, o Brasil possui quatro bancos de pele localizados nos estados do Paraná (Curitiba), Rio de Janeiro (Rio de Janeiro), São Paulo (São Paulo) e Rio Grande do Sul (Porto Alegre). Em todos eles há estoque suficiente para atender as possíveis demandas brasileiras.

 

PELE HUMANA PARA TRATAR QUEIMADURAS

A pele humana é utilizada como um curativo biológico para pacientes que sofreram graves queimaduras. No início do tratamento, é retirada a pele queimada e transplantada a pele doada em substituição aos tecidos carbonizados e mortos. Considerada a melhor opção terapêutica nestes casos por reduzir infecções e dores, além de acelerar a recuperação e, assim, diminuir o tempo de internação do paciente.

O material é proveniente de doadores e costuma ser retirado do dorso das coxas, braços e costas após confirmação de morte cerebral, como ocorre em doações de órgãos. “Tragédias como essa no Peru, que vitimou tantas crianças e jovens, nos faz refletir sobre a importância e necessidade de sermos doadores de órgãos e tecidos para termos estoque permanente destes materiais”, ressalta João Gabbardo.

A quantidade de pele dos bancos destinados para utilização terapêutica é mensurada em centímetros quadrados. Em 2018, foram utilizados no Brasil 83.559 cm² de pele humana.

Saiba mais sobre transplante e doação de órgãos e tecidos.

 

Por Silvia Pacheco, da Agência Saúde
Atendimento à imprensa

(61) 3315-3580/ 2351

Fim do conteúdo da página