Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
ASSISTÊNCIA

Ministério da Saúde reforça ação pelo enfrentamento à Covid-19 na região Sul

Escrito por André | | Publicado: Quinta, 16 de Julho de 2020, 21h57 | Última atualização em Quinta, 16 de Julho de 2020, 21h57

Em visita à Santa Catarina, representantes da pasta divulgaram a nova estratégia do Governo do Brasil para a região, no enfrentamento à pandemia

Os secretários Luiz Otavio Franco Duarte, da Atenção Especializada à Saúde, e Raphael Parente, da Atenção Primária à Saúde, visitaram Florianópolis (SC), nesta quarta-feira (15), representando o ministro Eduardo Pazuello. O objetivo foi divulgar a nova estratégia do ministério para a região Sul no enfrentamento à pandemia da Covid-19, colocar a força do SUS à disposição dos estados e conhecer de perto as ações que Santa Catarina vem implementando. A comitiva ministerial foi acompanhada pelo secretário adjunto da Saúde, Aldo Neto, e pela deputada federal Carmen Zanotto.

Na ocasião, Franco Duarte salientou a importância do tratamento precoce do coronavírus.  “Como se trata de um vírus muito letal, enfrentar a Covid-19 no início do contágio é o principal foco da estratégia do Governo Federal, que reduzirá os custos e evitará que o quadro clínico do paciente se agrave. A nossa maior missão é salvar vidas”, ressaltou.

Em reunião com o secretário Estadual da Saúde, André Motta Ribeiro, Franco Duarte falou sobre o desabastecimento de medicamentos, como sedativos e anestésicos para o processo de intubação, e garantiu que essa questão será solucionada em breve. “Esses medicamentos estão em falta em todo o mundo. Estamos fazendo um ‘esforço de guerra’ para equalizar essa demanda no país. Os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina terão prioridade no recebimento”, explicou.

Em Florianópolis, os secretários foram a três unidades de saúde: a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Sul da Ilha, o Hospital Estadual de Florianópolis e o Hospital de Caridade. Na UPA, o secretário Franco Duarte verificou o fluxo de atendimento à pacientes com suspeita de Covid-19 e checou o estoque de medicamentos da farmácia da unidade.

Desde o início da pandemia, o Governo Federal vem prestando apoio irrestrito à saúde pública de Santa Catarina em ações para reforçar a assistência à população, desde a atenção primária até a especializada de alta complexidade. De janeiro a julho, foram repassados ao estado e municípios R$ 932 milhões para o enfrentamento da Covid-19. De março a julho, o Ministério da Saúde habilitou no estado 530 leitos de UTI exclusivos para o tratamento de pacientes com Covid-19, sendo 31 leitos pediátricos, com investimento de R$ 73,6 milhões.

A pasta também distribuiu para Santa Catarina 1,6 milhão de medicamentos, sendo 58,5 mil comprimidos de cloroquina e 1,5 milhão de cápsulas de oseltamivir, além de comprar e distribuir 5,8 milhões de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para o uso de profissionais de saúde, como máscaras, luvas, aventais e álcool. Foram enviados ainda mais de 356 mil testes de diagnóstico para todo o estado, sendo 253,7 mil testes rápidos (sorológicos) e 120,7 testes RT-PCR.

O Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde, também tem ajudado os gestores locais do SUS na compra e distribuição de ventiladores pulmonares. Foram entregues em Santa Catarina 73 equipamentos. Além disso, foram recuperados e entregues pelo SENAI, 51 ventiladores pulmonares dos 76 que foram recolhidos para manutenção.

ATENÇÃO PRIMÁRIA

Uma das respostas do Governo do Brasil no combate à Covid-19 é o fortalecimento da Atenção Primária à Saúde (APS), com aumento de recursos e ampliação de modelos de organização de serviços. Com mais recursos, os gestores podem ampliar e fortalecer a atuação das equipes para operar em barreiras sanitárias, ampliar a busca ativa e monitoramento dos casos de síndrome gripal, ampliar a coleta de exames moleculares e de testes rápidos, contribuir nas medidas não-farmacológicas por meio dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS), bem como para o diagnóstico e manejo de aproximadamente 80% dos casos suspeitos e confirmados, sem a necessidade de sobrecarregar outros níveis de atenção da rede.

Para reforçar o atendimento médico na Atenção Primária de Santa Catarina, o Ministério da Saúde também facilitou, emergencialmente, a adesão dos municípios ao programa Saúde na Hora, possibilitando a ampliação do horário de atendimento à população. Em todo o estado, já são 70 unidades com horário ampliado. Santa Catarina possui 1.898 Equipes de Saúde da Família (ESF), sendo 110 equipes na capital, Florianópolis. Essas equipes são compostas por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes comunitários de saúde, que atendem a população nos postos de saúde. A assistência na Atenção Primária também foi reforçada com 409 médicos do programa Mais Médicos atendendo no estado. Deste total, 13 médicos atuam na Atenção Primária em Florianópolis.

REFORÇO PARA A REGIÃO SUL

O Ministério da Saúde também tem atuado para reforçar a estrutura de assistência pública dos estados do Paraná e Rio Grande do Sul, no enfrentamento da pandemia do coronavírus. Desde o início do ano, foram repassados para o estado e municípios paranaenses R$ 1,1 bilhão para o enfrentamento da Covid-19. De março a julho, a pasta habilitou no estado 473 leitos de UTI exclusivos para o tratamento de pacientes com Covid-19, sendo 35 leitos pediátricos, com investimento de R$ 68,1 milhões.

A pasta entregou ao Paraná 1,6 milhão de medicamentos, sendo 62 mil comprimidos de Cloroquina e 1,5 milhão de cápsulas de oseltamivir. O Ministério da Saúde também comprou e distribuiu ao estado 9,1 milhões de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para o uso de profissionais de saúde, como máscaras, luvas, aventais e álcool. Foram enviados ainda 1,1 milhão de testes de diagnóstico para o estado, sendo 407,9 mil testes rápidos (sorológicos) e 721,4 mil testes RT-PCR.

Para o Rio Grande do Sul, o Ministério da Saúde habilitou, de março a julho, 624 leitos de UTI exclusivos para o tratamento de pacientes com Covid-19, sendo 5 leitos pediátricos, com investimento de R$ 85,8 milhões. A pasta distribuiu para o estado gaúcho 1,2 milhão de medicamentos, sendo 47 mil comprimidos de cloroquina e 1,1 milhão de cápsulas de oseltamivir.

A pasta também comprou e distribuiu 9,1 milhões de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para o uso de profissionais de saúde, como máscaras, luvas, aventais e álcool. Foram enviados ainda 575,5 mil testes de diagnóstico para todo o estado, sendo 448,1 mil testes rápidos (sorológicos) e 129,3 mil testes RT-PCR. De janeiro a julho, foram repassados ao estado e municípios gaúchos R$ 1,3 bilhão para o enfrentamento da Covid-19.

O Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde, também tem ajudado os gestores locais do SUS na compra e distribuição de ventiladores pulmonares. No Paraná foram entregues 316 equipamentos e para o Rio Grande do Sul, a pasta entregou 317 ventiladores pulmonares.

Sílvia Pacheco, da Agência Saúde
Colaborou Gabriela do Vale, do Nucom SAES
Atendimento à imprensa
(61) 3315-3580 / 2745 / 2351

Fim do conteúdo da página