Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Ministério da Saúde inicia nova organização de apoiadores por São Paulo

Escrito por Leonardo | | Publicado: Quarta, 22 de Abril de 2015, 16h44 | Última atualização em Quarta, 22 de Abril de 2015, 16h46

São Paulo vai ser o primeiro estado brasileiro a contar com uma nova organização para o trabalho de apoiadores do Ministério da Saúde. Definida nesta quarta-feira (22/4), a estratégia visa à potencialização das ações locais, a partir de uma articulação mais próxima e efetiva com o estado e os municípios.

As discussões preparatórias para a nova sistematização das ações dos apoiadores foram iniciadas há cerca de um ano. Embora Piauí, Rio de Janeiro e Distrito Federal também estejam desenvolvendo um novo modelo de organização – nestes casos, por solicitação dos governadores -, São Paulo começa por iniciativa do próprio Ministério da Saúde, cuja coordenação terá vínculo direto com o gabinete do ministro. Atualmente, o estado conta com 27 apoiadores, profissionais que atuam como facilitadores nos processos de implementação de ações e políticas de Saúde nos territórios.

De acordo com a secretária de Atenção à Saúde, Lumena Furtado, a proposta é identificar soluções capazes de oferecer o melhor aproveitamento dos recursos disponíveis e, assim, ampliar os esforços para os serviços de menor alcance da população, de maneira regionalizada. “Esta (sistematização dos apoiadores) é uma forma do Ministério da Saúde estar junto no território, pensando e atuando nos processos de gestão, permanentemente, com respeito à autonomia de cada ente federativo. A partir daí, vamos saber o que está acontecendo em cada município, avaliar, ouvir, dialogar e propor, estabelecendo uma forte relação com os apoiadores do COSEMS e do Estado”, destacou a secretária, em reunião com o grupo paulista, realizada na manhã, no Núcleo do Ministério da Saúde em São Paulo.

A estratégia do Ministério é necessária, também, para oferecer apoio técnico às prefeituras e regiões, como, por exemplo, no apoio à elaboração do planejamento do seu sistema de saúde.

Os apoiadores ainda serão referências nas suas regiões de atuação. Embora não tenham poder para deliberação no território, eles poderão participar das iniciativas locais como representantes do Ministério. Além disso, o grupo terá um responsável, que irá articular diretamente com o estado e organizar as agendas do coletivo.

Com a nova organização, os apoiadores passarão a ter reuniões presenciais mensais, já a partir de maio. Ao longo de um dia em cada mês, os agentes participarão de oficinais para atualização de informações e da situação de cada região e, também, para deliberar as agendas e atividades prioritárias.​

 

Diogo Caixote

Núcleo do Ministério da Saúde de São Paulo

Fim do conteúdo da página