Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
OMS

Brasil participa da 68ª Assembleia Mundial da Saúde

Escrito por Leonardo | | Publicado: Segunda, 18 de Maio de 2015, 15h16 | Última atualização em Quarta, 20 de Maio de 2015, 11h32

Evento, realizado em Genebra, contará com a participação do ministro da Saúde, Arthur Chioro, que também se reunirá com representantes de outros países para discutir futuras parcerias

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, participa a partir desta segunda-feira (17) da 68° Assembleia Mundial da Saúde, realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em Genebra, na Suíça. O evento, realizado anualmente, tem como objetivo estabelecer metas conjuntas, diretrizes e acordos entre nações nas mais variadas áreas da saúde. Para o primeiro dia do encontro, que reúne representantes de 194 países-membros que fazem parte da Organização, está prevista a realização de um balanço de ações e a definição das novas prioridades.

Durante o evento, o ministro também participará de reuniões bilaterais e eventos paralelos para o estabelecimento de diálogo e cooperação com países como Argentina, Suriname, Estados Unidos, Bélgica, além dos países integrantes dos BRICS (Rússia, Índia, China e África do Sul), entre outros.

Na ocasião também será realizado evento paralelo com a Unitaid, organização transnacional criada pelos governos do Brasil, Chile, França, Noruega e Reino Unido, voltada para o acesso a medicamentos de HIV/AIDS, Malária e Tuberculose em países em desenvolvimento.

EDIÇÃO ANTERIOR – Em 2014, o ministro Arthur Chioro discursou no plenário da 67ª Assembleia Mundial de Saúde, quando reafirmou o compromisso do governo brasileiro em manter a universalidade de seu sistema de saúde, ressaltando que, para os brasileiros, a saúde é um direito social. O ministro também lembrou o compromisso brasileiro de promover o desenvolvimento sustentável, com a erradicação da pobreza e com a superação das desigualdades.

Na ocasião também foi citada a criação da Força Nacional do SUS (FN-SUS), que atua em situações de urgência – desastres naturais, calamidades públicas ou situações de risco epidemiológico – como exemplo de ação de saúde voltada para as mudanças climáticas.

O ministro também destacou que, nos últimos 25 anos, o Brasil vem construindo seu sistema de saúde público e gratuito, e que uma das prioridades é expandir a Atenção Básica, garantindo o acesso universal a medicamentos. Na ocasião foi abordado ainda o desafio assumido pela presidenta Dilma Rousseff ao implantar o Programa Mais Médicos que, atualmente, conta com mais de 18 mil médicos e beneficia 63 milhões de brasileiros nas regiões mais vulneráveis do país.

 

Por Priscila Silva, da Agência Saúde
Atendimento à Imprensa
(61) 3315-3434 / 3315-2351 / 3580

Fim do conteúdo da página