Ir direto para menu de acessibilidade.
Novo Coronavírus - tire suas dúvidas
Banner teleSUS clique aqui
Início do conteúdo da página
PREVENÇÃO

Indígenas de Rondônia são beneficiados com mutirão de ultrassonografias

Escrito por Leonardo | | Publicado: Segunda, 28 de Setembro de 2015, 17h50 | Última atualização em Segunda, 28 de Setembro de 2015, 17h50

Quase 200 procedimentos serão realizados em dez comunidades, numa iniciativa que alcançará povos de seis etnias

Até o final de outubro, o Polo Base de Cacoal, do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Vilhena, em Rondônia, realiza um mutirão de ultrassonografias para atender indígenas das etnias Suruí, Cinta Larga, Apurinã, Kwasar, Mequéns e Sakirabiar, que vivem em dez aldeias da região. A ação, iniciada na comunidade Gamir Linha 14, distante cerca de 50 quilômetros de Cacoal, deverá realizar um total de quase 200 exames.

“Como a nossa demanda por esse procedimento tem sido maior do que a capacidade de oferta do município, convidamos o médico Charles Modro, da Secretaria Estadual de Saúde, para ir até as aldeias acompanhado por nossa equipe multidisciplinar e por outra médica contratada para dar suporte à realização dos exames”, explica a coordenadora distrital Alda Uchoa, do DSEI Vilhena.

Até o momento, com o resultado do trabalho em três aldeias, os profissionais já realizaram 50 ultrassonografias de diferentes tipos – mama, abdômen total, próstata, transvaginal, pélvica, obstétrica, tireoide e punho. “É uma ação de grande importância, não há dúvida. A ultrassonografia é um dos métodos de diagnóstico por imagem mais eficientes e que pode auxiliar bastante na análise médica e, consequentemente, na escolha do tratamento”, concluiu Alda.

Por Graziela Oliveira
Foto: Acervo / DSEI Vilhena

registrado em:
Assunto(s):
Fim do conteúdo da página