Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Dsei Ceará intensifica cuidados em aldeias indígenas

Escrito por André | | Publicado: Sexta, 06 de Março de 2020, 18h38 | Última atualização em Segunda, 09 de Março de 2020, 15h23

ceara1

Os indígenas do Polo Base Pitaguary em Maracanaú (CE) receberam profissionais das Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena para intensificação de ações de prevenção e controle da Hanseníase. Além da busca ativa por pacientes, avaliação de casos suspeitos e dos contatos, os profissionais participaram de uma oficina de sensibilização sobre o tema. Os cerca de 40 profissionais visitaram indígenas das aldeias Monguba, unificadas e Horto no final do mês de janeiro. No Polo Maracanaú foram identificados sete casos da doença nos anos de 2014 à 2019. Após a visita das equipes, foi detectado um novo caso de hanseníase e outros dois estão em investigação, aguardando exames.

ceara2

Os cerca de quase 4 mil indígenas do Polo Base Pitaguary (são 3920 indígenas aldeados e cadastrados no SIASI) em Maracanaú, situado na Região Metropolitana de Fortaleza, distando cerca de 23 Km da capital, receberam 08 profissionais da Liga Acadêmica em Doenças Estigmatizantes- LADES UFC para realizar atividades alusivas ao Dia Mundial de luta contra a Hanseníase, comemorado no último domingo do mês de janeiro. Foram realizadas Oficinas de Sensibilização para profissionais das Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena- EMSIs (20 profissionais) e para 40 pessoas da comunidade, seguida de busca de casos, com avaliação de suspeitos e de contatos de ex-pacientes. As atividades foram realizadas nas aldeias do Polo Pitaguary (Monguba e Central), mas receberam indígenas das demais aldeias (Santo Antônio, Aldeia Nova, Horto e Olho D'Água).

Na ocasião, os profissionais também aproveitaram para promover o aleitamento exclusivo até os seis meses nas aldeias indígenas Olhos d'água e Horto em Maracanaú. O DSEI Ceará levou profissionais de saúde até lá para sensibilizar gestantes e mães de recém-nascidos sobre a importância do leite materno para os bebês.

SAIBA MAIS

No dia 31 de janeiro é o Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase, data instituída pela Lei nº 12.135/2.009. A hanseníase (antigamente conhecida como lepra,) é uma doença infecciosa, contagiosa, causada pelo bacilo Mycobacterium leprae, ou bacilo de Hansen. A transmissão ocorre por meio de contato próximo e contínuo com o paciente não tratado. Sua evolução depende de características do sistema imunológico da pessoa infectada e apresenta múltiplas manifestações clínicas, exteriorizadas, principalmente, por lesões dos nervos periféricos e cutâneas com alteração de sensibilidade. (Biblioteca Virtual, site MS).

registrado em:
Assunto(s):
Fim do conteúdo da página