Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Redução de óbitos por acidentes de trânsito no Brasil é reconhecida em evento internacional

Escrito por alexandreb.sousa | | Publicado: Quinta, 20 de Fevereiro de 2020, 11h28 | Última atualização em Quinta, 20 de Fevereiro de 2020, 11h28

Os resultados brasileiros foram elogiados pelo diretor-geral da OMS

Durante a cerimônia de abertura da 3ª Conferência Global de Ministros para a Segurança no Trânsito, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, celebrou os resultados que as cidades têm alcançado em todo o mundo e destacou o esforço brasileiro: “Muitas cidades do Brasil, por exemplo, tem reportado declínios no número de fatalidades por acidentes de trânsito em mais de 40% desde 2010”, afirmou. O evento reúne mais de 1.700 participantes de cerca de 140 países em Estocolmo, Suécia, de 19 a 20 de fevereiro. O rei da Suécia, Carl XVI Gustaf, também participou da abertura do evento.

As mortes por acidentes de trânsito no país estão em queda no Brasil nos últimos anos: o número de óbitos caiu de 42.884 em 2010 para 35.374 em 2017. Dados preliminares de 2018 indicam a possibilidade de uma nova redução para 32.121 mortes, mas este número ainda está sujeito a alterações.

Uma das iniciativas do Ministério da Saúde que contribui para a redução óbitos é o Programa Vida no Trânsito (PVT), voltado para a vigilância e prevenção de lesões e mortes no trânsito e promoção da saúde. Este programa surgiu em resposta aos desafios da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Década de Ações pela Segurança no Trânsito 2011-2020, cuja meta é reduzir 50% dos óbitos nesse período. Esse movimento também foi impulsionado pela divulgação do Relatório Mundial sobre o Estado da Segurança Viária, produzido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), e pela realização da primeiro Road Safety, a partir de 2009.

O objetivo do Programa é subsidiar gestores públicos no fortalecimento de políticas de prevenção de lesões e mortes no trânsito por meio da qualificação, planejamento, monitoramento, acompanhamento e avaliação das ações. São prioridades do Projeto: o aperfeiçoamento do sistema de informações; intervenções focadas nos fatores de risco de ordem comportamental, como direção após consumo de álcool e velocidade excessiva ou inadequada; intervenções focadas em grupo de vítimas prioritários, tais como motociclistas, pedestres e ciclistas; e o atendimento às vítimas.

A 3ª Conferência Global de Ministros para a Segurança no Trânsito marca o fim da Década de Ação para a Segurança no Trânsito das Nações Unidas. O evento é uma oportunidade para os países partilharem sucessos e lições aprendidas nos últimos anos, traçar futuras diretrizes estratégicas para a segurança rodoviária global até 2030 e, acima de tudo, definir formas de acelerar as ações já comprovadas para salvar vidas. A primeira edição da conferência foi organizada em 2015 no Brasil e a segunda em 2009 em Moscou (Rússia).

O Ministério da Saúde está sendo representado na conferência pelo diretor do Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças Não Transmissíveis (DASNT), Eduardo Macário, e pela coordenadora-geral de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis (CGDANT), Luciana Sardinha, ambos da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS).

Assunto(s):
Fim do conteúdo da página